Últimas Notícias

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) recebeu alta neste sábado, 22, da unidade de terapia semi-intensiva, informou boletim médico divulgado nesta tarde. 
Segundo a equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein, ele não apresenta dor, febre ou disfunções orgânicas.
Na sexta-feira, 21, Bolsonaro começou a ingerir alimentos pastosos em decorrência da recuperação dos movimentos intestinais e teve “ótima aceitação”. Ele está internado no hospital desde o dia 7 de setembro, para onde foi transferido após receber uma facada na região abdominal em Juiz de Fora (MG), quando participava de atividade de campanha no dia 6.
O boletim de hoje informa ainda que ele segue com a recuperação dos movimentos intestinais, recebendo dieta pastosa acompanhada de nutrição endovenosa.
Também estão sendo mantidas as medidas de prevenção de trombose venosa, com exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto.

Agência Brasil

O candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) chamou, nesta 6ª feira (21.set.2018), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) de “nazista filho da puta”.
O pedetista participou de 1 comício na cidade de Goiânia. Uma pessoa com uma camisa estampada com foto do Bolsonaro estava presente e gerou tumulto entre os militantes de Ciro.
Ao ver o apoiador do Bolsonaro, Ciro pediu para os presentes terem paciência com ele, pois “não tem culpa de nada” e é “apenas uma vítima desse nazista filho da puta que vamos derrotar”.
O ex-ministro afirmou também que Bolsonaro cria uma cultura de ódio e relacionou isso com a facada levada no dia 6 de setembro durante ato de campanha do político do PSL em Minas Gerais.
“Olha o que é cultura de ódio: um bobinho, que não deve ter culpa de nada, acabou de criar uma confusão aqui trazendo uma camisa do adversário. Por ele, fanático como o doido que enfiou uma faca nele [Bolsonaro], acha que a política deve ser resolvida assim”.

Poder 360

Um homem foi encontrado morto a tiros nesta sexta (21), na localidade de Oiticica, na zona rural do município de Santa Quitéria.
Francisco Juracir Rufino Martins, 35, residente na referida localidade, teria sido morto na noite de quinta (20), por dois indivíduos não identificados, que estavam em uma moto e que passaram a disparar contra o mesmo.
A Polícia Militar e a Perícia Forense chegaram a ser acionadas na quinta a noite, onde procuraram por informações no local, junto da vizinhança mais próxima, a cerca de 3 km de onde aconteceu, no entanto, não foi localizado o corpo.
Somente na tarde de sexta, por volta das 15h20, que o corpo de Juracir foi encontrado e a Perícia, novamente, foi acionada para fazer a remoção para o Instituto Médico Legal, em Canindé.
A autoria do crime segue desconhecida.

A partir deste sábado (22), candidatos a cargos eletivos nas eleições de outubro não poderão ser presos, a menos que seja em flagrante. A Lei Eleitoral veda prisões nos 15 dias anteriores à eleição. Após o primeiro turno, no dia 7 de outubro, a restrição valerá apenas para os candidatos que forem disputar o segundo turno.
A Lei Eleitoral também proíbe a prisão de eleitores, mas somente cinco dias antes do pleito, ou seja, a partir de 2 de outubro, os eleitores só podem ser presos em flagrante ou para cumprir sentença condenatória por crime inafiançável. A regra vale até 48 horas após a votação.
O Artigo 236 do Código Eleitoral diz que: “Nenhuma autoridade poderá, desde cinco dias antes e até 48 horas depois do encerramento da eleição, prender ou deter qualquer eleitor, salvo em flagrante delito ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto”.
O juiz eleitoral ou até o presidente da mesa receptora de votos pode expedir a salvaguarda em favor do eleitor que sofrer qualquer tipo de violência na sua liberdade de votar, ou pelo fato de já haver votado. Quem desrespeitar essa garantia pode ser preso por até cinco dias.

Agência Brasil

Doze dias depois de assumir o comando do Supremo Tribunal Federal (STF) , o ministro Dias Toffoli substituirá o presidente Michel Temer na Presidência da República. Temer viaja no domingo (23) para Nova York (EUA), quando participará da cerimônia de abertura da 73ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).
Será a primeira vez que Toffoli assumirá o Palácio do Planalto. Como o cargo de vice-presidente está vago, a primeira pessoa da linha sucessória no país é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e a segunda, o do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).
No entanto, a legislação eleitoral impede a candidatura de ocupantes de cargos no Executivo nos seis meses que antecedem as eleições. Dessa forma, se Maia ou Eunício assumissem a Presidência, ficariam inelegíveis e não poderiam disputar as eleições de outubro.
A Assembleia Geral da ONU está marcada para a terça-feira (25) e está previsto um discurso do presidente brasileiro. Esta será a última vez que Temer vai participar da reunião das Nações Unidas como presidente da República. A viagem de Temer está prevista no dia do seu aniversário, quando completa 78 anos.

Agência Brasil

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget