Últimas Notícias

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, através da Comissão Apuradora das Eleições 2018, realizou, nesta sexta-feira, 14/12, a retotalização dos resultados da eleição, em face de decisões do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que modificaram a situação dos registros de candidatos a deputado federal e deputado estadual.
O TRE atualizou a situação dos candidatos deferidos pelos TSE e comandou no sistema a retotalização, que considerou válidos os votos para deputado estadual obtidos por Lia Ferreira Gomes (6.598) e Domingos Gomes de Aguiar Filho (2.118), bem como os votos para deputado federal de Maria Ediene Monteiro (1.560).
O procedimento modificou o quociente eleitoral para os cargos de deputado federal, que passou de 208.842 para 208.913, e para estadual, que foi de 99.375 para 99.564. No entanto, a ação não alterou as listas de eleitos. Estão mantidos os mesmos nomes já anunciados pela Justiça Eleitoral, apenas com o acréscimo dos candidatos na suplência das coligações.

Foram sepultadas, na manhã deste sábado (15), cinco vítimas da colisão entre um ônibus com romeiros e um caminhão, que aconteceu na última quinta-feira (13), no município de Campos Sales. O acidente deixou seis pessoas mortas, incluindo os dois passageiros do caminhão, e 30 feridas.
Otília Francisca Alves, de 64 anos; Manoel Cícero da Silva, 85 anos; Luzia Alves do Santos, 57 anos, e seu esposo, Sebastião Antônio dos Santos, 80 anos, foram homenageadas com missa realizada em Campo Sales. Já Ana Rafaela Nogueira, 26 anos, que estava no caminhão junto com o motorista Raimundo de Lima Costa, também morto no acidente, foi sepultada na sua cidade natal, Cedro, no Centro-Sul cearense.
O acidente aconteceu na tarde de quinta-feira (13), na rodovia CE-371, a 12 km de Campos Sales. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o ônibus vinha da cidade de Canindé após os fiéis terem participado de uma missa na última terça-feira (11). No retorno para Campos Sales, o ônibus colidiu com um caminhão que trazia um carregamento de gesso, na localidade de Varzinha. 
Entre os feridos, 14 pessoas foram transferidas para hospitais de Crato e Juazeiro do Norte, onde continuam em observação, e uma delas, em estado mais grave, foi transferida para o hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. As pessoas que estavam internadas no Hospital de Campos Sales receberam alta médica, conforme informou a diretora da unidade hospitalar, Isabel Cristina da Silva. 

Diário do Nordeste

Ainda sem conseguir localizar o paradeiro do médium João de Deus , investigadores identificaram movimentações recentes nas contas bancárias em nome dele. Segundo estes investigadores, na quarta-feira passada, dia 12, quando as primeiras denúncias de abuso sexual já eram conhecidas, foram retirados cerca de R$ 35 milhões de contas bancárias em nome de João de Deus. 
A descoberta destas operações fez com que a Polícia de Goiás e o Ministério Público do estado acelerassem o processo para pedir a prisão do médium. O dinheiro foi retirado de aplicações que João de Deus tem em instituições bancárias. Depois das denúncias, vizinhos relataram que ele não mais voltou à sua casa em Abadiânia .
A ordem de prisão contra o médium já está disponível em sistema do Conselho Nacional de Justiça. Assim, qualquer autoridade policial no país pode efetuar sua prisão, caso o localize em outro estado. Para o MP, João de Deus é oficialmente considerado foragido da Justiça . A Polícia Civil, que vem negociando a apresentação do médium, ainda evita usar esse termo.
O delegado geral da Polícia Civil do estado, André Fernandes, afirmou que a rendição do médium está confirmada. Acusado por centenas de mulheres de abusar sexualmente delas durante sessões espirituais na cidade de Abadiânia, o líder teve a prisão decretada nesta sexta-feira, mas não foi localizado até o momento pelas autoridades. A Polícia Civil e o MP do estado têm interpretações diferentes sobre o status do acusado, que nega os crimes atribuídos a ele.
O paradeiro do líder religioso é incerto. Sua última aparição em público foi na quarta-feira, na casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. Ele permaneceu no local por apenas oito minutos. Um advogado amigo de João de Deus disse que a defesa do médium teme pela integridade física dele na prisão. Em nota, na sexta-feira, o advogado Toron havia classificado a ordem de prisão como "inaceitável", já que a defesa não teria tido acesso, na ocasião, ao pedido de prisão do Ministério Público Estadual de Goiás nem ao teor do depoimento das vítimas.
Famoso pela realização de "cirurgias espirituais", João Teixeira de Farias, o médium João de Deus, já atendeu celebridades, políticos e altos funcionários públicos do Brasil e do mundo. Agora, no entanto, ele é alvo de uma série de acusações de abuso sexual. O caso veio à tona com a revelação, no último sábado (8), de relatos de mulheres que acusam o médium de se aproveitar da autoridade de líder espiritual para abusar sexualmente delas. As histórias foram contadas no programa "Conversa com Bial" e no jornal O GLOBO.

O Globo

A posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deve contar com aparelhos que bloqueiam o sinal de aparelhos de celular enquanto ele estiver em movimentação na Esplanada dos Ministérios.
Enquanto Bolsonaro estiver em ambiente externo, a previsão é que também sejam usados aparelhos capazes de evitar o uso de drones na área. O pedido foi feito pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional) ao Exército, segundo apurou a reportagem.
A preocupação principal da equipe responsável pela segurança é o acionamento remoto de explosivos no caminho pelo qual passará o presidente eleito. Esses instrumentos geralmente são usados para proteção de autoridades, além de presídios.
De acordo com integrantes da área de segurança, o esquema não foi usado na posse da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
Procurado pela reportagem, o futuro ministro do GSI, general Augusto Heleno, disse não ter informações sobre o esquema de segurança. A previsão é que o atual chefe do GSI, general Sérgio Etchegoyen, conceda entrevista coletiva na próxima semana para explicar como funcionará a segurança no dia da posse.
A segurança de Bolsonaro foi reforçada depois de, durante a campanha, ele ter recebido uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora, em Minais Gerais.

Estadão Conteúdo

O governador do Ceará, Camilo Santana, afirmou nesta sexta-feira (15), durante almoço na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), que não planeja nenhum aumento de tributos para 2019.
"Não estamos aumentando nenhum tributo. Fiz questão de não mandar nenhuma mensagem para Assembleia com aumento de qualquer imposto ou tributo para a população cearense. Não tem perspectiva para aumento", confirmou.  
Camilo também reforçou que o equilíbrio fiscal e os investimentos também são prioridades na próxima gestão. "Logo no primeiro ano eu tomei medidas e estou encerrando o ano tomando medidas me preparando para os próximos quatro anos. Essas medidas garantiram que o Ceará honrasse seus compromissos e foi o Estado que mais fez investimentos públicos no País".   
O governador participou de solenidade promovida pela Fiec e reuniu diversas autoridades de governo e empresários de vários setores produtivos.

Diário do Nordeste

A Justiça do Ceará decidiu aceitar a denúncia do Ministério Público contra os 15 suspeitos de participar da Chacina das Cajazeiras, que deixou 14 pessoas mortas em janeiro de 2018, durante uma festa em um clube conhecido como "Forró do Gago".
O Colegiado de Juízes proferiu a decisão no dia 7 de dezembro, após considerar presentes indícios suficientes de autoria e prova da materialidade dos crimes. "A peça delatória expôs, de forma clara e objetiva, os fatos supostamente delituosos, com todas as circunstâncias relevantes, indicou as qualificações dos denunciados, classificou os crimes e forneceu rol de testemunhas, atendendo a todos os requisitos formais do art. 41 do Código de Processo Penal" , destacou o Colegiado.
Os denuciados terão dez dias para responderem à acusação por escrito, onde podem alegar o que interesse à sua defesa, apresentar documentos e justificações. Cada um pode solicitar até oito testemunhas. Caso algum dos acusados não apresente a resposta à acusação no prazo estabelecido, os autos serão encaminhados ao defensor público da Vara.
São denunciados Deijair de Souza Silva, Noé de Paula Moreira, Misael de Paula Moreira, Francisco de Assis Fernandes da Silva, Auricélio Sousa Freitas, Zaqueu Oliveira da Silva, Ednardo dos Santos Lima, João Paulo Félix Nogueira, Rennan Gabriel da Silva, Fernando Alves de Santana, Francisco Kelson Ferreira do Nascimento, Ruan Dantas da Silva, Joel Anastácio de Freitas, Victor Matos de Freitas e Ayalla Duarte Cavalcante.
A denúncia aponta contra eles os crimes de homicídio e tentativa de homicídio (triplamente qualificados por motivo torpe, meio cruel e recuso que impossibilitou defesa das vítimas), incêndio, tentativa de uso de gás tóxico, fraude processual e constituição de organização criminosa (com emprego de arma de fogo e participação de adolescente).
A chacina ocorreu na madrugada de 27 de janeiro deste ano, quando membros de uma facção invadiram o clube Forró do Gago, no Bairro Cajazeiras, e disparam vários tiros, matando 14 pessoas. As investigações apontaram a rivalidade entre facções criminosas como a motivação do crime.

Diário do Nordeste

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget