"Não tem neste País viva alma mais honesta que eu", afirma Lula

20/01/2016 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou na manhã desta quarta-feira, dia 20, o instrumento jurídico da delação premiada e disse, em referência ao conteúdo revelado na Operação Lava Jato, que "o grande problema da delação premiada é que o grande prêmio para os delatores é envolver o Lula".
Lula defendeu sua atuação internacional por meio do instituto que leva seu nome ao repetir que sempre agiu corretamente na defesa dos interesses comerciais do Brasil. "Não tem neste País viva alma mais honesta que eu", afirmou ao exaltar sua máxima de que aprendeu honestidade com a mãe analfabeta.
O petista afirmou que acompanha com a "consciência tranquila" as notícias de suspeitas contra ele divulgadas na imprensa. "Tenho a consciência tranquila que neste País só tem um jeito de não ser punido, que é fazer as coisas corretas e vale para todo mundo."
Em entrevista a blogueiros na sede do instituto que leva seu nome, em São Paulo, ele também disse que não há quem possa envolvê-lo em irregularidades. "Duvido que neste País tenha promotor, delegado, empresário, amigo ou não amigo, que tenha coragem de afirmar que eu tenha me envolvido em algo ilícito", afirmou.
De acordo com o ex-presidente, é preciso reconhecer que os governos petistas criaram condições para investigações de grande porte como as que estão ocorrendo atualmente. "A presidente Dilma ainda será enaltecida pelas condições criadas para punir quem não andar na linha neste País, do mais simples ao mais alto escalão", afirmou. 
Lula destacou, também, que este tipo de reconhecimento não vem do dia para a noite e pode levar décadas.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe