Padre Nery deixará a Paróquia de Santa Quitéria; Padres Fábio e Elânio serão os substitutos

Pe. Nery (esquerda), Pe. Fábio (centro) e Pe. Inácio (in memorian - direita)

08/01/2016 - O Bispo Diocesano de Sobral Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos divulgou na manhã desta sexta (08/01), no portal da Diocese, um comunicado aos diocesanos, sobre as transferências e mudanças de párocos e vigários das 16 paróquias da região.

De acordo com Dom Vasconcelos, “logo após a sua posse como Bispo Diocesano, deparou-se com situações inesperadas, como o doloroso falecimento do nosso saudoso Pe. José Inácio Avelino – ex-vigário de Santa Quitéria”, como também, “observou o vencimento de provisões de alguns Párocos e recebeu pedidos de outros padres para uma nova experiência pastoral”.
“As transferências e nomeações foram frutos de um profundo diálogo com os padres envolvidos, realizado num clima de liberdade e plena aceitação, visando ao bem da Igreja”, afirmou o Bispo, na nota. Antes de serem realizadas as nomeações, membros do Colégio de Consultores e outros padres experientes foram consultados.

Na Paróquia de Santa Quitéria, o atual pároco Pe. João Batista Nery de Abreu foi designado para a Paróquia do Cristo Ressuscitado (Sobral), sendo substituído pelo Pe. Francisco Fábio do Nascimento Araújo, atual pároco de Hidrolândia e pelo vigário paroquial Pe. Elânio Carvalho de Alcântaras.
Ainda na Diocese, o novo pároco quiteriense responderá pela Coordenadoria Diocesana da Pastoral da Comunicação. Por sua vez, a Paróquia de Hidrolândia será dirigida pelo seu novo pároco Pe. Emanuel Franklin Leitão Júnior.

Aos diocesanos, recomendou “buscar o diálogo e a correção fraterna, com abertura, clareza, sinceridade e doação à causa do reino, que devem ser características dos pastores e do rebanho, como também, evitar comparações entre o atual Pároco e o anterior”.
Já aos padres, “a consideração pela caminhada pastoral, missionária e formativa das comunidades, como também, valorizar os talentos e carismas das pessoas e comunidades que nelas vivem e o empenho e a construção de seus antecessores”.
“Agradeço de todo coração, o louvável empenho pastoral que cada sacerdote realizou nestes anos à frente de sua respectiva Paróquia. A transferência não é uma promoção, muito menos uma punição, é uma necessidade da Igreja que vive em Estado Permanente de Missão”, concluiu o Bispo.

Fotos: Arquivo / A Voz de Santa Quitéria
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe