Para investigadores, erros dos pilotos levaram à queda do avião de Campos

20/01/2016 - A conclusão da investigação da Aeronáutica sobre a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos é que o avião caiu devido à desorientação e falta de habilidade dos pilotos, que não seguiram procedimentos de pouso em condições meteorológicas adversas.
Eduardo Campos morreu em Santos (SP), em 13 de agosto de 2014, após o avião em que voava, um Cessna Citation modelo 560XLS+, de prefixo PR-AFA, cair sobre um bairro residencial. Outras seis pessoas morreram no acidente.
Campos morreu aos 49 anos e era candidato à Presidência da República pelo PSB. Após sua morte, Marina Silva, postulante a vice, assumiu a candidatura e terminou as eleições em terceiro lugar.
Segundo o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), a falta de conhecimento da aeronave e da área de pouso, além de erros de julgamento sob estresse fizeram com que os pilotos perdessem o controle da aeronave após arremeterem o pouso.
Quem conduziu as investigações foi o tenente-coronel Raul de Souza.
As investigações descartaram erros de projeto da aeronave, cujos modelos similares se envolveram em uma lista de incidentes.
Antes da imprensa, os investigadores receberam os familiares das vítimas para explicar as causas do acidente.
Não estiveram presentes os parentes do assessor de Campos, Pedro Valadares Neto, e do co-piloto, Geraldo Magela.

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe