Professores municipais de Santa Quitéria sem previsão de reajuste e 'faz-me-rir'

05/01/2016 - Foi-se o tempo em que professor era autoridade máxima na sala de aula e sua carreira era equiparada com a dos grandes profissionais do país.
O sentimento de desvalorização que acompanha os profissionais da educação é reforçado no cotidiano, pelos problemas físicos e psicológicos, pela infraestrutura escolar precária, pela violência no ambiente de trabalho, pela cobrança por resultados sem as devidas condições para tal exigência, pela falta de apoio de um considerável número de famílias que não acompanham os filhos nas escolas e ainda pelos baixos salários.

Os professores da rede pública municipal de Santa Quitéria já estão se preparando para mais um aperto em 2016. Isso porque, no ano que findou, a Prefeitura Municipal não concedeu nenhum reajuste salarial à classe, nem tampouco, a concessão de incentivos.
Para completar a indignação, uma possível declaração do prefeito Fabiano Lobo à uma professora, que questionou ao gestor se haveria um 14º salário e este afirmou: “Digamos que seja um faz-me-rir”, em uma forma de desvalorização aos educadores.

Ao longo do ano, o Sindicato dos Professores se reuniu por 04 vezes com a administração e quando anunciado que não havia condições para tal reajuste, a entidade entrou com ação na Comarca local, que tramita até os dias de hoje. Quanto ao 'faz-me-rir', o presidente Evelardo Bié afirmou não possuir informações oficiais se houve 'sobra de recursos' para ser distribuído.
O AVSQ tentou contatos por diversas vezes com a Prefeitura Municipal e com a Secretaria de Educação, mas ambas não atenderam as ligações, por conta do recesso administrativo.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe