Delcídio ameaça entregar 'metade do Senado' caso seja cassado

22/02/2016 - O senador Delcídio do Amaral (PT-MS), ex-líder do governo na Casa, afirmou a interlocutores, quando ainda estava preso, que caso fosse cassado, levaria metade do Senado consigo. "Se me cassarem, levo metade do Senado comigo", disse. A frase foi entendida como uma ameaça aos seus pares. Com informações da Folha de S. Paulo.
Caso seja cassado, o senador perde o foro privilegiado e será julgado em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, no Paraná.
Delcídio passou quase três meses na prisão e volta ao Senado nesta semana, no entanto, ele estuda tirar licença de até 120 dias para preparar sua defesa. 
No retorno, Delcídio conversará com correligionários e oposição argumentando sua inocência e pedindo amparo. Porém, poucos devem dar apoio público ao petista.
Dias após a prisão do senador, os partidos Rede Sustentabilidade e PPS entraram com uma representação pedindo a cassação de Delcídio sob acusação de quebra de decoro parlamentar.
A defesa de Delcídio pediu a substituição do relator do processo aberto no Conselho de Ética, Ataídes Oliveira (PSDB-TO), por julgar que a legenda não possui isenção. O pedido ainda será analisado.

Desgaste
Alguns correligionários de Delcídio veem a licença como uma forma de evitar maior desgaste do senador e do PT. Ele pode solicitar licença médica ou por motivos pessoais. Caso acabe o período e ele não volte ao seu mandato, o suplente é convidado a ocupar o cadeira.
Outro razão para desgaste é a presidência da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado, ocupada por ele. O partido não quer vê-lo novamente no posto, por isso, pretende substituí-lo pela senadora Gleisi Hoffman (PR).

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe