Medicamentos deverão ficar cerca de 12,5% mais caros

31/03/2016 - Os medicamentos de todo o Brasil deverão ficar mais caros a partir desta quinta-feira (31). O aumento de cerca de 12,5%, acima da inflação (Índice de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA - por volta de 10%) pela primeira vez em 10 anos, foi autorizado pelo Ministério da Saúde. A partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU), os valores reajustados já poderão ser praticados de imediato, ficando a critério de cada estabelecimento. 
Além da elevada inflação brasileira, o dólar cada vez mais caro é apontado por especialistas como fundamental para o forte aumento constatado, uma vez que grande parte dos insumos para a produção dos remédios são importados, sofrendo influência direta da desvalorização do real no mercado internacional. No ano passado, por exemplo, o reajuste foi por volta de 6%, aproximadamente metade do verificado para este 31 de março de 2016.
O encarecimento vêm em um momento onde muitos dos produtos estão em falta nas lojas, algo que já vem sendo observado há algum tempo. Para o diretor tesoureiro do Sincofarma-CE, Maurício Filizola, a indústria tem segurado os medicamentos com os distribuidores, no intuito de lançá-los após o reajuste. Os motivos exatos para a demora na reposição de estoques, no entanto, ainda não estão claros.

Alternativas
Para fugir da alta nos preços, o consumidor pode recorrer a algumas opções alternativas. Entre elas, optar por produtos genéricos e similares, mais baratos que os originais, ou mesmo aderir à programas de fidelização de alguma rede de sua preferência. 
Em cenários como esse, todavia, o mais importante é consumidor se conscientizar de que, antes de tudo, a pesquisa por preços mais em conta é fundamental.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe