No primeiro Clássico-Rei do ano, Leão foi mais forte

14/03/2016 - Foram 315 dias de saudades um do outro. Dez meses após a insana final do Campeonato Cearense do ano passado, Fortaleza e Ceará se reencontraram com muitas caras novas em ambos os lados, mas sem esquecer a rivalidade mútua sempre existente quando os maiores times do Estado ficam frente a frente.
A vitória do Tricolor por 2 a 1 no primeiro Clássico-Rei de 2016, ontem, no Castelão, foi marcada por pouca técnica, um erro grave de arbitragem e o excesso de vontade e de cartões. Foi marcada também pela mexida precisa de Marquinhos Santos colocando Núbio Flávio, autor do gol da vitória, no meio da segunda etapa. Com proibição de torcidas organizadas no Castelão, houve registro de confrontos pela Cidade.
Em campo, as lembranças da final de 2015 nos times pareciam mais vivas que nunca. O ritmo alucinante empregado teve como pimenta do bolo o erro crasso do árbitro Magno Cordeiro, que viu a bola batida na nuca de Lima como se fosse no braço — pênalti com gol de Rafael Costa. A falha do homem do apito, estreante em clássicos, inflamou os times e, consequentemente, o jogo. Foram seis os cartões amarelos apenas na primeira meia hora de jogo.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe