Planilhas da Odebrecht citam mais de 200 políticos

23/03/2016 - Documentos da Odebrecht apreendidos pela Polícia Federal na 23ª fase da operação Lava Jato, batizada de Acarajé, mostram o nome de mais de 200 políticos de 18 partidos que podem ter recebido repasses da construtora. A informação é do blog de Fernando Rodrigues. Os documentos estão foram apreendidos com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente de infraestrutura da Odebrecht.
As planilhas, que foram tornadas públicas na terça-feira (22) pelo juiz Sergio Moro, fornecem detalhes como nomes, cargos, partidos, valores e inclusive apelidos dos políticos. As listas não esclarecem as circunstâncias dos valores — se foram repassados como doações oficiais ou caixa dois.
Os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR) e Humberto Costa (PT-PE) são mencionados. Eduardo Campos (PSB), morto em 2014 e candidato à presidência em 2014 também é citado.
Entre apelidos atribuídos: Jaques Wagner – Passivo; Eduardo Cunha – Carangueijo; Renan Calheiros – Atleta; José Sarney – Escritor; Eduardo Paes – Nervosinho; Humberto Costa – Drácula; Lindbergh Farias – Lindinho; Manuela D’Ávila – Avião; Romero Jucá – Cacique; Sergio Cabral – Proximus; Jarbas Vasconcellos Filho – Viagra.
Outros nomes que estão citados são Celso Russomano, Paulinho da Força, Gabriel Chalita, José Serra, Arthur Virgílio, Rodrigo Maia, Jorge Picciani, Fernando Pezao, Fernando Haddad, Tarso Genro, entre outros.

Terra
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe