Polícia Federal cumpre mandados no Ceará em investigação de desvio de recursos públicos

15/03/2016 - A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (15) a Operação Remenda, fruto da investigação para desarticular uma quadrilha que desviava, através de uma ONG de fachada, recursos públicos destinados à agricultura e ao turismo. A ação cumpre 13 mandados de busca e apreensão, sete de prisão temporária e um de prisão preventiva nos estado de Pernambuco, Ceará, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.
No Estado, a ação se concentra em Fortaleza. Policiais federais foram vistos em frente a um edifício na Rua Valdetário Mota, no bairro Cocó.
A apuração dos desvios é feita em conjunto com a Controladoria Geral da União (CGU) e teve início há três anos. Segundo a CGU, o caso envolve diretores de entidades, assessores e ex-políticos. O total desviado é estimado em cerca de R$ 4 milhões. A PF também está cumprindo mandados de intimação para oitiva imediata dos investigados. Cerca de 90 pessoas, entre policiais e auditores, participam da operação.
As investigações tiveram como base uma fiscalização da Controladoria que identificou irregularidades no processo de contratação da ONG e na execução dos convênios. Ainda conforme a CGU, recursos dos Ministérios da Agricultura e do Turismo foram desviados pelos diretores de Organização Não Governamental e por um ex-assessor de um ex-deputado federal de Pernambuco, responsável pelas emendas parlamentares dos convênios. Os nomes da ONG e dos envolvidos não foram divulgados.
Os crimes investigados são: formação de quadrilha ou bando; peculato ou apropriação indébita de recursos públicos; e lavagem de dinheiro.
A CGU explicou que a Operação Remenda faz referência a um trocadilho de palavras pelo fato de os recursos terem sidos liberados por emenda parlamentar, ou seja, remendar um problema com outra emenda.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe