STJ dá 72 horas para ministro da Justiça explicar ameaça à PF

22/03/2016 - A ministra Assusete Magalhães, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), deu um prazo de 72 horas para o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, explicar a ameaça de trocar a equipe da Polícia Federal no caso de "cheiro" de vazamento de informações.
Segundo o tribunal, a AGU (Advocacia-Geral da União) também foi notificada. O despacho refere-se a mandado de segurança preventivo do PPS contra uma eventual troca de agentes da PF pelo ministro.
A polêmica declaração de Aragão foi dada em entrevista à Folha de S.Paulo publicada no sábado (19). "A primeira atitude que tomo é: cheirou vazamento de investigação por um agente nosso, a equipe será trocada, toda. Cheirou. Eu não preciso ter prova. A PF está sob nossa supervisão. Se eu tiver um cheiro de vazamento, eu troco a equipe", afirmou o ministro.
"Agora, quero também que, se a equipe disser 'não fomos nós', que me traga claros elementos de quem vazou, porque aí vou ter de conversar com quem de direito", disse.

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe