Delegacias têm estrutura reforçada após seis ataques no Ceará

Após dois ciclos de atentados e ameaças registrados desde o último mês de março, incluindo seis ataques contra delegacias de Polícia Civil em todo o Estado, três distritos policiais da Grande Fortaleza tiveram as portas de vidro substituídas por portões de aço. Na fachada dos prédios, que também eram de vidraças, foram erguidas paredes de concreto. As medidas preventivas têm como objetivo dar mais segurança aos policiais civis, que, na avaliação do sindicato da categoria, ficam expostos durante os plantões.
“As novas fachadas remetem às delegacias do passado, da década de 1990, quando prezavam mais pela segurança do que pela estética. Isso dá mais segurança aos policiais, mas é claro que não é a solução. Além das portas, deveria ter, no mínimo, dois policiais por plantão nas unidades que não funcionam 24 horas”, afirmou Gustavo Simplicio Moreira, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpol).
Segundo o dirigente, a pretensão do delegado-geral, Andrade Júnior, é implantar “fachadas seguras” em todas as delegacias do Estado. Foram alteradas as fachadas do 3º, 19º e 20º distritos policiais (DPs), localizados nos bairros Parque Araxá, Conjunto Esperança e Acaracuzinho, no Maracanaú. Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) destacou que a medida faz parte de um plano de segurança que também objetiva resguardar os cidadãos que utilizam os serviços das delegacias.

Prevenção
Nos dois últimos meses, um total de 28 ações contra propriedades públicas e privadas foram contabilizadas no Ceará. Dentre elas, está o atentado contra o prédio da Assembleia Legislativa (AL), no dia 5 deste mês, quando um automóvel com 13 quilos de explosivos foi abandonado nas proximidades do Legislativo Estadual.
Nos dias seguintes, medidas de segurança foram adotadas para proteger os servidores, parlamentares, assessores e cidadãos que visitam o prédio diariamente. Dividido por etapas, de início, veículos foram proibidos de estacionar nos arredores do prédio e a instalação de terminais para identificação de visitantes foi realizada. A próxima etapa, segundo informações da assessoria da Casa, consiste na instalação de um software para funcionamento das catracas, seguindo o mesmo padrão de segurança de outros parlamentos brasileiros, como a Câmara dos Deputados e Senado.

Governador
Conforme O POVO publicou no último domingo, 24, o governador Camilo Santana afirmou que sofreu ameaças anônimas nos últimos meses. Mensagens que teriam partido de membros de facções criminosas que atuam no Ceará. Ontem, O POVO procurou a assessoria de imprensa do Governo do Estado e da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) para saber se alguma medida de prevenção havia sido tomada com relação à segurança pessoal de Camilo. 
Por telefone, a informação repassada foi que não houve alteração no esquema de segurança do governador. Outros detalhes, como se foi aberta alguma investigação sobre as ameaças, não foram divulgados.

Saiba mais
Em março, cinco delegacias e um prédio da Sejus foram alvejados com disparos de arma de fogo e seis ônibus e uma topique incendiados.
Neste mês, um carro-bomba foi deixado próximo à Assembleia Legislativa e houve ameaça de bomba na Contax e no Fórum Clóvis Beviláqua. Foram incendiados um ônibus, um micro-ônibus, três antenas de telefonia, a Câmara dos Vereadores de Sobral e uma delegacia. Um quartel, uma base e uma cabine da PM foram atacados.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe