Em meio ao caos no Sistema Penal, Sejus vai bancar jogo de xadrez nos presídios ao custo de R$ 60 mil

Em meio a um cenário de fugas, rebeliões e o domínio de facções criminosas no Sistema Penal cearense, a Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus), responsável por administrar as unidades prisionais do Estado, resolveu gastar dinheiro com o divertimento dos detentos, numa clara demonstração de gasto inútil com o dinheiro público. Firmou convênio no valor de R$ 60 mil para os presidiários aprenderem a jogar xadrez.
A denúncia está confirmada através do Diário Oficial do Estado (DOE), que publicou em sua mais recente edição o processo de número 8089294/2016, assinado pelo secretário-adjunto da Pasta, Sandro Camilo Carvalho, em que o órgão firma contrato com a Federação Brasileira de Xadrez. A entidade esportiva receberá R$ 60 mil, sem licitação, para oferecer jogos de xadrez aos internos dos presídios.
Na justificativa para tal feito, a Sejus alega  que o contrato, “visa sensibilizar os apenados dos benefícios em jogar xadrez fazendo uma reflexão sobre o que podemos absorver na prática do jogo de xadrez, promovendo a resignação de valores éticos e morais”.  E mais: “reunir condições para o desenvolvimento de habilidades intelectuais e psicológicas através do xadrez”.
Enquanto o dinheiro público é desperdiçado pela Sejus, o Governo do Estado ainda não conseguiu por em prática  a recém-aprovada lei estadual que determina o bloqueio do sinal de celular nos presídios.  A situação caótica dos presídios tem levado a constantes fugas, rebeliões, assassinatos e depredações, além da ação contínua das facções criminosas que determinam assassinatos e comandam o tráfico de drogas de dentro das cadeias cearenses.

Fernando Ribeiro
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe