Empreiteiro confirma que 'doação' à campanha de Dilma, em 2014, era propina

07/04/2016 - O ex-presidente da empreiteira Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, confirmou que dinheiro roubado da Petrobras financiou a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) em 2014. Alem de confessar o crime, o executivo que comandava a construtora na ocasião ainda apresentou à Procuradoria Geral da República (PGR) a planilha na qual o financiamento ilegal foi sistematizado.
A revelação de Otávio Azevedo, em depoimento sob delação premiada, confirma revelação idêntica do dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa, também em depoimento à PGR. O depoimento de Azevedo foi corroborado também por Flávio Barra, ex-diretor da empreiteira mineira.
A Andrade Gutierrez doou R$20 milhões à campanha de Dilma em 2014, e metade desse valor estava vinculado à contratação da empresa para realizar obras para o governo. Também foram realizados pagamento de propina, na forma de "doação", nas campanhas de 2010 e de 2012.
O delator afirmou aos procuradores que o dinheiro era oriundo de contratos da empreiteira para a execução das obras da usina nuclear de Angra 3, hidrelétrica de Belo Monte e do Complexo Petroquímico do Rio.

Diário do Poder
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe