Holandês quer trazer nova 'Arca de Noé' para Fortaleza

No fim da conhecida história bíblica do dilúvio, Deus prometeu a Noé que nunca mais destruiria a Terra por meio das águas. Mesmo assim, o carpinteiro holandês Johan Huibers resolveu construir uma réplica 'Arca de Noé' nas medidas originais e quer trazê-la para o Brasil, ancorando em Fortaleza e em outras cidades do País, incluindo o Rio de Janeiro, aproveitando a realização da Olimpíada 2016.

A diferença para a embarcação descrita no livro de Gênesis é que ela não precisará levar um casal de cada espécie de animal. Adaptada para os dias atuais, a arca é maior que um campo de futebol, contando com sala de cinema, restaurante e toda uma infraestrutura para receber até 5 mil pessoas. Mas a promessa é de que ela também trará animais de verdade e estátuas em tamanho natural. Se antes ela foi usada para recomeçar o mundo, agora ela cruzará o Atlântico com uma missão evangelística. 
A fundação responsável pelo projeto diz que a ideia de vir ao Brasil veio após Johan Huibers pesquisar sobre a realidade de algumas comunidades carentes. Após orações com a igreja de sua cidade ele entendeu que era a vontade de Deus trazer a arca para o País para que essas “comunidades e muitas outras possam receber a experiência da esperança”. E fazer isso durante as Olimpíadas permitirá a “visitantes de todo o mundo testemunharem esse incrível navio”. 

A embarcação foi concluída em 2012 e já é uma atração turística na Holanda. Ela foi idealizada após Huibers sonhar que sua terra era inundada. A Holanda é oficialmente chamada de Países Baixos justamente por estar abaixo do nível do mar. 
Além de Fortaleza e Rio de Janeiro, o projeto inclui passagens por portos em Manaus, Belém, Recife, Salvador, Vitória, Santos, Florianópolis e Porto Alegre. Depois disso, o criador da nova arca quer ir a Montevidéu (Uruguai), Buenos Aires (Argentina), São Francisco e Seattle (ambos nos EUA).
A realização do projeto, entretanto, depende de um financiamento coletivo. O site da fundação está arrecadando doações.



Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe