Supremo suspende distribuição de "pílulas do câncer" pela USP

06/04/2016 - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, determinou a suspensão da distribuição da “pílula do câncer” pela Universidade de São Paulo (USP).
Na semana passada, a reitoria da USP já havia determinado o fechamento do laboratório que produzia a fosfoetanolamina sintética no Instituto de Química de São Carlos.
O ministro também concedeu “salvo conduto” ao reitor da USP, Marco Antonio Zago, para evitar que ele receba ordem de prisão de algum outro juiz, por “crime de desobediência”.

Capacidade pequena de produção
Desde o início da polêmica sobre a fosfoetanolamina, a USP foi citada em cerca de 15 mil liminares, concedidas por juízes de todo o País, obrigando-a a fornecer a substância para pacientes com câncer. Como a capacidade de produção era extremamente pequena a universidade não conseguia atender a todos os pedidos. As pílulas eram produzidas de forma artesanal por uma única pessoa no laboratório de São Carlos.
A decisão de Lewandowski suspende todas essas liminares, até que os processos sejam julgados em definitivo. Ainda cabe recurso ao pleno do Tribunal.

Diário do Poder
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe