Após entrevista de Dilma, Cunha diz que 'golpe' no Brasil foi 'de sorte'

O deputado federal afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou neste sábado (28), via Twitter, que o Brasil teve um "golpe de sorte" com o afastamento da presidente Dilma Rousseff.
A afirmação foi veiculada pelo peemedebista pouco depois de a Folha publicar, na tarde deste sábado,entrevista em que Dilma afirma que o governo de Michel Temer "terá que se ajoelhar" diante dele.
Na rede social, Cunha compartilhou um vídeo com um trecho da entrevista concedida à repórter Mariana Godoy, da RedeTV!, em 20 de maio.
No vídeo, ele toca bateria e aparece com a legenda de "O Malvado Favorito", em referência ao vilão de coração mole da animação de 2010 —e como era chamado no Palácio do Planalto na época em que era apenas um aliado incômodo.
"Pode ser que tenha tido um golpe no Brasil, mas foi um golpe de sorte, porque conseguimos nos livrar do PT e da Dilma de uma vez só", afirma no vídeo, declaração que reproduziu na sua mensagem deste sábado.
Cunha foi afastado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) sob o argumento de que há indícios de que ele tentava impedir as investigações da operação Lava Jato e seu processo de cassação no Conselho de Ética.
Na entrevista à Folha, Dilma afirma que "as razões para o impeachment estão cada vez mais claras", ao citar as gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, e diz que Cunha é a "pessoa central do governo Temer".
"Isso ficou claríssimo agora, com a indicação do André Moura [deputado ligado a Cunha e líder do governo Temer na Câmara]. Cunha não só manda: ele é o governo Temer. E não há governo possível nos termos do Eduardo Cunha", disse a petista. 

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe