Avião da EgyptAir desaparece dos radares quando ia de Paris para o Cairo

Um avião da EgyptAir que seguia de Paris ao Cairo, com 66 pessoas a bordo, desapareceu dos radares na madrugada desta quinta-feira por motivos desconhecidos e está sendo procurado no Mediterrâneo. Egito e Grécia anunciaram operações de busca para tentar localizar o Airbus A320.
O voo MS804 estava a uma altura de 37.000 pés (11.000 metros) e havia entrado no espaço aéreo egípcio quando desapareceu das telas dos radares às 2h45 do Cairo (21H45 de Brasília, quarta-feira), segundo a Egyptair.
A companhia nacional egípcia afirmou ignorar as causas do desaparecimento. "Não se pode descartar nenhuma hipótese sobre as causas do desaparecimento", afirmou o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.
De acordo com uma fonte aeroportuária da Grécia, o avião caiu perto da ilha grega de Karpatos, ao sudeste do Mar Egeu, quando sobrevoava o espaço aéreo egípcio. "Às 0H29 GMT (21H29 de Brasília, quarta-feira), quando estava no espaço aéreo egípcio, o avião desapareceu dos radares gregos", afirmou a fonte.
"Caiu a 130 milhas náuticas da ilha de Karpatos, situada entre as ilhas de Rodas e Creta ", completou. "Não houve mensagem de emergência do avião", indicou a aviação civil grega.
"Os controladores aéreos gregos detectaram o avião nos radares às 2H55 locais (21H55 de Brasília) e entraram em contato com o piloto", disse a fonte. "Três minutos mais tarde (...), quando o avião já havia entrado no espaço aéreo egípcio, desapareceu dos radares", completou.

Grécia envia equipes para buscas
A Grécia enviou uma fragata da Marinha, um avião C-130 e um avião militar EMB-145 para participar nas buscas do avião, segundo o ministério da Defesa. "Dois helicópteros Super Puma estão em Karpatos, preparados para participar nas buscas", afirma o comunicado.
O exército egípcio negou nesta quinta-feira ter recebido uma mensagem de emergência do avião A320 da EgyptAir. "As Forças Armadas egípcias afirmam que não receberam nenhuma mensagem de emergência procedente deste voo", afirmou um porta-voz militar no Facebook.
O fato de que os pilotos não tiveram tempo de enviar uma mensagem de emergência poderia sugerir, segundo especialistas, que aconteceu um incidente brutal e repentino no voo entre Paris e Cairo.
Este é mais um anúncio contraditório sobre a existência de uma mensagem de emergência por parte da tripulação do voo MS804 ou de um sinal automático de socorro.
O vice-presidente da EgyptAir, Ahmed Adel, afirmou em um primeiro momento que a tripulação não havia enviado nenhum sinal de emergência. Alguns minutos depois, no entanto, um comunicado da EgyptAir afirmava o contrário e um porta-voz destacou que o exército havia captado uma "mensagem de emergência", "menos de 10 minutos antes" do desaparecimento do avião dos radares.
O avião transportava 56 passageiros, incluindo uma criança e dois bebês, sete tripulantes e três agentes de segurança, informou a companhia. No voo estavam 30 egípcios, 15 franceses, dois iraquianos, um britânico, um canadense, um belga, um português, um argelino, um sudanês, um chadiano, um saudita e um kuwaitiano. No aeroporto do Cairo, os parentes dos passageiros foram levados para um local reservado.

Avião decolou de Paris na noite de quarta
O avião decolou do aeroporto Charles de Gaulle de Paris na quarta-feira às 22H45 horário egípcio (17H45 de Brasília). A previsão de pouso no Cairo era 03H05 (22H45 de Brasília).
O contato no radar foi perdido quando o avião estava "acima do Mediterrâneo a 280 km da costa egípcia", de acordo com a EgyptAir.
O presidente francês, François Hollande, e seu colega egípcio Abdel Fatah al-Sisi concordaram, em uma conversa telefônica, estabelecer uma "cooperação estreita" para determinar "o mais rápido possível as circunstâncias do desaparecimento", informou o governo da França.

AFP
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe