Governador quer investigar se há desvios na formação dos policiais

O governador do Estado, Camilo Santana, disse em entrevista na última segunda-feira, 9, que determinou ao secretário da Segurança, Delci Teixeira, que seja realizada uma reunião com representantes da Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp) para ver se há problemas na formação dos policiais.
“Eu pedi ontem (8) mesmo, quando soube. Com muita tristeza, recebi a notícia do falecimento, no fim de semana, desses policiais. Liguei para o secretário (Delci) e pedi que, imediatamente, a Secretaria da Segurança, que faça uma avaliação se há algum desvio na formação, se há alguma questão que nós possamos superar, para melhorar a qualificação desses profissionais nas ruas”, ressaltou.
Camilo diz que quer identificar as causas do problema. “Tanto do ponto de vista nosso, da Secretaria, quanto do ponto de vista da situação criminal. O fato é que hoje temos um enfrentamento muito maior, um trabalho muito mais forte na Polícia. É por isso que nós estamos há quase um ano e quatro meses com redução de homicídios. Isso é fruto de um esforço”, detalhou o governador.
Na opinião do deputado estadual Capitão Wagner (PR), o treinamento não é o ideal. Mas, segundo ele, o último policial morto, o soldado José Roberto Lemos, fazia parte do Batalhão de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), que é uma das tropas de Elite da Polícia Militar. “Ele (o governador) coloca em cheque a força da elite da corporação. Há uma série de fatores para que essas mortes estejam acontecendo. Ele tem que rever as próprias ações antes de criticar a formação do policial”, critica.
O deputado acrescentou que o Estado tem trabalhado com a marca Tauros, de armamento, marca com relatos de travamento e problemas nas pistolas. Segundo ele, São Paulo, por exemplo, passou a comprar outras marcas e diz que já fez um requerimento para que o Ceará adote as mudanças.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe