Governo Temer nega suspensão do Minha Casa, Minha Vida 3

O Ministério das Cidades negou na manhã desta sexta-feira (20) a suspensão da terceira fase do Minha Casa Minha Vida (MCMV). O gestor da pasta, Bruno Araújo, assegurou em nota enviada à imprensa que o programa “será continuado, que os programas sociais são prioridade do governo interino Michel Temer”. 
A declaração vem em resposta a publicações informando uma “suspensão” do MCMV para “aprimoramento” das metas estipuladas pelo governo da presidente afastada Dilma Rousseff, segundo entrevista do ministro ao jornal Estado de São Paulo. 
Para evitar a confusão com os termos, o Ministério das Cidades reafirmou a manutenção do MCMV e reforçou “a importância do seu aprimoramento e, na medida em que a economia permitir, sua ampliação, com objetivo justamente de garantir que os programas sociais possam prosseguir.”, destacou o órgão.
“Estamos em um momento de transição, em hipótese alguma neste momento falaríamos em uma suspensão do programa Minha Casa, Minha Vida. O que estamos fazendo é sendo cautelosos, avaliando o que nos permite prometer para que não possam ocorrer falsas esperanças”, reiterou Bruno Araújo no comunicado oficial.
Antes, o ministro havia dito que toda a terceira etapa do programa passaria por um processo de aprimoramento e estimou o prazo de 40 dias para definir uma nova meta “realista” para o MCMV, que era de 2 milhões de unidades no governo Dilma Rousseff, com investimentos de cerca de R$ 210,6 bilhões, sendo R$ 41,2 bilhões do Orçamento-Geral da União. Na campanha presidencial de 2014, o governo chegou a prometer 3 milhões.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe