Mais pobres deixarão de ter subsídios do Minha Casa, Minha Vida, e programa mudará de nome

O programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) mudará de nome e deixará de conceder subsídios aos que são mais pobres, segundo informações confirmadas ao jornal O Globo por fontes relacionadas ao governo interino do presidente Michel Temer. A nova nomenclatura, que também deverá ocorrer, ainda não foi divulgada.
A equipe econômica de Temer já havia anunciado na última quarta (25) que revisaria subsídios.
O MCMV deixará de ter recursos do Tesouro Nacional para subsidiar casas para as famílias das faixas 1, que tem renda até R$ 1.800; e 2 renda de até R$ 3.600. As medidas fazem parte do quadro de restrições orçamentárias do governo interino. 
Diante da situação, a terceira etapa do programa está sendo reformulada pelo Ministério das Cidades. A meta inicial, anunciada pela presidente Dilma Rousseff durante a campanha de 2014, era de 3 milhões de casas a serem entregues.
Em fevereiro, caiu para 2 milhões. Com a reformulação, deverá ser reduzida para para 1,5 milhão de residências.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe