Ministro Mendonça Filho recebe propostas de Alexandre Frota para educação

O ministro da Educação, Mendonça Filho, recebeu no começo da tarde desta quarta-feira (25) a visita do apresentador e ex-ator pornô Alexandre Frota e de outros quatro integrantes do grupo Revoltados On Line, que apoiou o impeachment de Dilma Rousseff.
Uma foto do encontro foi divulgada por Frota nas redes sociais. "Estive com o ministro da Educação hoje e pude colocar algumas ideias para ajudar um país que eu amo", escreveu em seu perfil no Instagram.
Em um vídeo postado no Facebook, o grupo afirma que entregou ao ministro uma pauta com sugestões para a área. Entre elas, está o projeto "Escola sem partido", que defende o fim do que os idealizadores da proposta chamam de "doutrinação ideológica das escolas".
Projetos de lei sobre o assunto tramitam no Congresso Nacional, em câmaras municipais e assembleias legislativas pelo país. Em Alagoas, o projeto "Escola Livre" foi aprovado pelos deputados estaduais, mas vetado pelo governador Renan Filho (PMDB). No mês passado, no entanto, a Assembleia Legislativa do Estado derrubou o veto por 18 votos a oito.
A lei obriga professores a serem "neutros" em sala de aula e os proíbe de "doutrinar" e "induzir" alunos em assuntos políticos, religiosos e ideológicos, sob pena até de demissão. 
Em nota, Mendonça Filho afirmou que "tem como prática atender às solicitações de audiência, assim como dar retorno aos contatos recebidos". "Não discrimino ninguém, porque respeito a liberdade de cada pessoa fazer suas escolhas de vida. Conheci Frota no movimento pró-impeachment, assim como o pessoal do Revoltados On Line. Não vejo problema em recebê-los para uma visita", declarou.

Escolheu mal
"O que Alexandre Frota e os Revoltados On Line propuseram, entre outras coisas, são duas medidas inconstitucionais, que ferem o direito à educação, os direitos civis e os direitos humanos e são antipedagógicas. Ou seja, Mendonça Filho escolheu mal seus interlocutores", diz Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

UOL
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe