PF realiza 30ª fase da Operação Lava-Jato; Segunda fase em dois dias

A PF (Polícia Federal) deflagrou na manhã desta terça (24) a 30ª fase da Operação Lava Jato. Cerca de 50 policiais federais e dez servidores da Receita Federal cumprem mandados em São Paulo e Rio.
Segundo o jornal "Folha de S.Paulo", o ex-ministro José Dirceu e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque voltaram a ser citados na operação. Os dois já foram condenados por participação no esquema.
Nesta fase, batizada de "Vício", são cumpridos 28 mandados de busca e apreensão, dois de prisão preventiva (sem prazo) e nove de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para prestar esclarecimentos e depois é liberada).
Os envolvidos são suspeitos de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro.
Segundo nota da PF, a operação de hoje tem como alvo contratos e repasses de valores entre empresas contratantes da Petrobras, funcionários da estatal e agentes públicos e políticos.
Sempre de acordo com a PF, "três grupos de empresas são investigados por terem se utilizado de operadores e de contratos fictícios de prestação de serviços para repassar valores à Diretoria de Serviços e Engenharia e Diretoria de Abastecimento da Petrobras".
Também estão sendo cumpridos mandados para apurar pagamentos indevidos a um executivo da área Internacional da Petrobras em contatos firmados para a aquisição de navios-sondas.
De acordo com a PF, o nome "Vício" remete à "sistemática, repetida e aparentemente dependente, prática de corrupção por determinados funcionários da estatal e agentes políticos que aparentam não atuar de outra forma senão através de atos lesivos ao Estado".
A nota da PF diz ainda que o nome também remete à ideia de que "alguns setores do Estado precisam passar por um processo de desintoxicação do modo corrupto de contratar de seus representantes".

Duas fases em dois dias
A fase de hoje ocorre um dia após a deflagração da 29ª fase, que foi batizada de "Repescagem", o que não é habitual na Operação Lava Jato. A 28º, por exemplo, foi realizada no dia 12 de abril, ou seja, houve um intervalo de mais de 40 dias.
Questionado em abril sobre os intervalos das fases, o juiz Sergio Moro, que cuida das ações em primeira instância, disse que a "Operação Lava Jato não é seriado de TV, que tem que ter capítulo toda semana".

UOL
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe