Por demora em fazer exame, laudo não aponta violência em estupro coletivo

O laudo da perícia no caso do estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no Rio de Janeiro aponta que a demora em acionar a polícia e fazer o exame foi determinante para que não fossem encontrados indícios de violência. A adolescente foi examinada somente quatro dias após o crime. Com informações do portal G1.
Apesar de o resultado do exame de corpo de delito não fornecer provas suficientes, a polícia também fez uma perícia no vídeo que foi divulgado nas redes sociais. 
O chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, disse que a perícia realizada no vídeo traz respostas que podem contrariar o senso comum que vem sendo formado sobre o caso. 
“Não há vestígios de sangue nenhum que se possa perceber pelas imagens que foram registradas. Eles [os peritos] já estão antecipando, alinhando algumas conclusões quanto ao emprego de violência, quanto à coleta de espermatozoides, quanto às práticas sexuais que possam ter sido praticadas com ela ou não. Então, o laudo vai trazer algumas respostas que, de certa  forma, vão contrariar o senso comum que vem sendo formado por pessoas que sequer assistiram ao vídeo”, concluiu Veloso.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe