TIM é multada em R$ 25 milhões por ligações não completadas no Ceará

A operadora de telefonia TIM foi condenada a pagar R$ 25 milhões de indenização por danos morais coletivos que deverá ser revertida em favor do Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDID) do Estado do Ceará. A sentença expedida pela juíza Karla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara da Justiça Federal do Ceará, na última sexta-feira (13), é resultado de uma ação civil pública de autoria da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa. Ainda cabe recurso sobre a decisão.
A ação se refere ao ano de 2011, quando, conforme o processo as ligações efetuadas via celular pelos usuários da TIM não eram completadas ou encerradas repentinamente. Isso forçava o consumidor a refazer a ligação e, consequentemente, aumentando o valor das contas telefônicas (planos pós-pagos) ou diminuindo os créditos (no caso dos planos pré-pagos).  “A TIM estimulou o aumento da demanda pelo uso de seus serviços, sem, no entanto, preocupar-se com o crescimento ou aperfeiçoamento da infraestrutura necessária a assegurar o fornecimento de um serviço público de qualidade”, diz a ação movida pelo Procon-AL.    
“Foi muito gratificante e representativo o ganho dessa ação, porque demonstra a força de um órgão de defesa do consumidor e isso nos estimula a trabalhar ainda mais”, disse o deputado Odilon Aguiar (PMB) e presidente da Comissão de defesa do Consumidor da Assembleia.
Além da TIM, a ação também solicitava a inclusão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no processo como polo passivo (ré), mas não foi acatada porque a justiça considerou que a agência reguladora estava cumprindo a sua função de fiscalizar as concessionárias de telefonia.
Em nota, a TIM informou que está ciente da decisão e apresentará os recursos processuais competentes.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe