Ceará contabiliza 122 casos confirmados de microcefalia

O Ministério da Saúde confirmou, nesta quarta-feira (15), mais sete casos no Ceará de microcefalia ou alterações no sistema nervoso central ligadas a infecções congênitas.
No total, as anomalias foram detectadas 122 vezes desde outubro de 2015, quando as notificações do problema foram intensificadas por conta da suposta relação com o vírus zika. Há ainda 178 casos sob investigação no Ceará.
O Brasil contabiliza, até o dia 11 de junho, 1.581 ocorrências das condições neurológicas investigadas confirmadas. Outros 3.047 casos permanecem sob análise. As confirmações ocorreram em 25 estados do Brasil e no Distrito Federal. A única unidade federativa que não teve diagnósticos de microcefalia comprovados foi o Acre.
Até o momento, foram contabilizados 73 óbitos confirmados por microcefalia ou alterações do sistema nervoso central em todo o Brasil.
O Ministério da Saúde informa que todos os casos das anomalias apontadas estão sendo investigados, incluindo a possível relação com o vírus zika e outras infecções congênitas. Dentre as diversas causas da microcefalia estão a ação de agentes infecciosos como os causadores de sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.
A Pasta recomenda que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença do Aedes aegypti, transmissor do vírus, com a eliminação dos criadouros, manutenção de portas e janelas fechadas ou teladas, uso de calças e camisas de mangas compridas, além da utilização de repelentes permitidos para gestantes.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe