Em apenas cinco meses de 2016, 100 mulheres foram assassinadas no Ceará

Chegou a 100 o número de mulheres assassinadas no Ceará em 2016. A centésima mulher vítima da violência armada no estado tinha 52 anos, era dona de casa, e que estava separada do esposo há algumas semanas. Na manhã desta segunda-feira (30), ela acabou sendo morta a golpes de faca pelo ex-marido, que não se conformava com o fim do casamento.
O crime passional aconteceu no Sítio Prazeres, na zona rural do Município do Barro, na Região Sul do Estado – Cariri (a 467Km de Fortaleza). Maria Lieda Bezerra do Nascimento foi atingida com vários golpes de faca (costas e pescoço, segundo a Perícia Forense). O principal suspeito do assassinato é o ex-marido, identificado como Antônio Bezerra de Queiroz, conhecido naquela comunidade como “Antônio Paizinho”.
Gravemente ferida, Maria Lieda foi socorrida para o hospital daquela cidade caririense, mas não resistiu e morreu pouco tempo depois. Os familiares, amigos e vizinhos ficaram revoltados com a covardia do assassino, que fugiu logo em seguida.
Policiais militares iniciaram uma série de diligências para prender o suspeito, mas até a manhã desta terça-feira ele não havia sido localizado. O corpo da mulher foi encaminhado ao Núcleo da Perícia Forense em Juazeiro do Norte.

Mulheres
Em apenas cinco meses, 100 mulheres foram mortas no Ceará, numa média de 20 à cada mês. Em sua maioria, os crimes estão relacionados ao envolvimento das vítimas com o tráfico de drogas. Mas, também são comuns nesta estatística os assassinatos por motivos passionais e os de natureza sexual, quando as vítimas são violentadas e, em seguida, executadas.
Os 100 assassinatos de mulheres foram assim distribuídos ao longo desses cinco meses de 2016: janeiro (25 casos), fevereiro (25), março (19), abril (21) e maio (10), demonstrando uma oscilação e queda dos registros no período.

Fernando Ribeiro
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe