Frio bate recorde em São Paulo, onde quatro mortes são investigadas

A rede de acolhimento voltada ao atendimento de pessoas em situação de rua na capital paulista é insuficiente, de acordo com análise do frei Agostino, da Comunidade Voz dos Pobres. Segundo ele, o problema é agravado com a chegada do inverno e de temperaturas próximas a zero.
Ao menos quatro moradores de rua morreram desde a última quinta-feira na cidade. As causas das mortes ainda serão investigadas, mas a arquidiocese suspeita que o frio tenha ocasionado os óbitos. Com recordes de frio, São Paulo registrou hoje (13) zero grau, a temperatura mais baixa em 12 anos de existência do Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE).
A Secretaria Municipal da Assistência Social informou que a capital tem quase 16 mil moradores de rua, conforme censo elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Frei Agostino, que atua na proteção à população de rua, calcula que existam pelo menos 20 mil pessoas nessa situação em São Paulo. A assessoria de imprensa da secretaria não comentou sobre a divergência dos números.

Área estratégica
Os dados do censo revelam que 52,7% da população de rua preferem ficar na área da Sé, no Centro. “Na região do Pátio do Colégio, você encontra um grande número de moradores de rua. Mesmo sendo uma área aberta, eles preferem ficar sempre juntos, pois se sentem mais seguros”, destacou o frei.
Na cidade, existem 79 centros de acolhida da capital, com 10 mil vagas fixas. Segundo a prefeitura, essa rede foi ampliada para o inverno, com mais 1,2 mil vagas.
Segundo a Arquidiocese de São Paulo, foram registradas quatro mortes nos últimos quatro dias, possivelmente causadas pelo frio. Na quinta-feira (9), um homem foi achado próximo ao metrô Santana. Na sexta-feira (10), uma mulher foi encontrada perto do Terminal Rodoviário do Tietê, ambos na zona norte. Eles ainda não foram identificados.
O morador de rua João Carlos Rodrigues, de 55 anos, que estava nas imediações da estação Belém do metrô, foi achado na madrugada de sexta-feira. Adilson Justino, com idade desconhecida, foi encontrado sábado (11) pela Polícia Militar na Avenida Paulista.

Agência Brasil
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe