Henrique Eduardo Alves pede demissão do Ministério do Turismo

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, avisou nesta quinta-feira (16) ao presidente interino Michel Temer que pedirá exoneração do cargo.
No telefonema, o ministro disse que enviará acarta de demissão ainda nesta quinta-feira (16). Segundo a reportagem apurou, ele afirmou que não quer criar constrangimentos ao presidente interino.
No início deste mês, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que o ministro atuou para obter recursos desviados da Petrobras em troca de favores para a empreiteira OAS.
Parte do dinheiro do esquema desbaratado pela Operação Lava Jato teria abastecido a campanha de Alves ao governo do Rio Grande do Norte em 2014, quando ele acabou derrotado.
A negociação envolveria o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro. As afirmações da Procuradoria constam do pedido de abertura de inquérito para investigar os três, enviado no fim de abril ao Supremo, mas até hoje mantido sob sigilo.
No despacho obtido pela Folha de S.Paulo, Janot aponta que Cunha e Alves atuaram para beneficiar empreiteiras no Congresso, recebendo doações em contrapartida.
"Houve, inclusive, atuação do próprio Henrique Eduardo Alves para que houvesse essa destinação de recursos, vinculada à contraprestação de serviços que ditos políticos realizavam em benefício da OAS", escreveu Janot.

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe