Ilan Goldfajn é nomeado novo presidente do Banco Central

O Senado acaba de aprovar, no início da noite desta terça-feira (7), o nome de Ilan Goldfajn para presidente do Banco Central, com 56 votos favoráveis, 13 contrários e uma abstenção. O economista vai substituir Alexandre Tombini. 
Para que o ex-economista-chefe do banco Itaú assuma o cargo, sua nomeação precisa ser publicada no Diário Oficial da União, no qual também sairá a exoneração do atual presidente da autoridade monetária, Alexandre Tombini.
Segundo fonte do BC com conhecimento direto do assunto, Tombini ainda seguirá à frente do BC na quarta-feira, segundo dia de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), quando será anunciada a próxima decisão sobre a taxa básica de juros.
Antes do nome de Ilan ser referendado em plenário do Senado, ele foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) da Casa nesta terça-feira. Em sabatina, Ilandefendeu a inflação na meta central do governo, regime de câmbio livre e a autonomia do BC.
Goldfajn foi indicado ao cargo pelo presidente em exercício Michel Temer. 

Votação
O relator da indicação, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), deu início à discussão defendendo a aprovação do nome de Goldfajn para o cargo. Lira ressaltou que o indicado tem currículo compatível com a vaga e que já teve experiências anteriores correlatas, como quando foi diretor de política econômica do Banco Central de 2000 a 2003.
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) anunciou voto contrário da bancada à indicação. Lindbergh criticou a intenção de se substituir o presidente do Banco Central durante um governo interino. Ele também apontou que há conflito de interesse, já que Goldfajn é sócio do Itaú Unibanco.

Brasil Econômico, com Agência Reuters, Agência Senado e Estadão Conteúdo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe