MEC vai fazer pente-fino em 830 mil bolsas com valor total de R$ 1,1 bilhão

O Ministério da Educação (MEC) vai fazer um pente-fino em cerca de 830 mil bolsas ofertadas pela pasta de forma pulverizada, por meio de mais de 10 programas vinculados a diferentes diretorias, ao custo de R$ 1,1 bilhão por ano.
O levantamento do total desses benefícios foi feito pela nova cúpula do ministério, que assumiu após o afastamento da presidente Dilma Rousseff. Agora, a equipe vai jogar uma lupa sobre os incentivos para identificar aqueles que, eventualmente, não estão sendo bem aplicados.
O alvo principal e mais urgente da verificação são 690 mil bolsas destinadas a professores e gestores do ensino básico. O restante, algo em torno de 140 mil, também deverá passar pelo pente-fino, mas, como se trata de uma minoria e beneficia basicamente estudantes, a ordem é deixá-las para um segundo momento.
O pente-fino foi determinado pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, nomeado mês passado pelo presidente interino, Michel Temer. A relação de bolsas apontadas no levantamento é extensa. Há incentivos, de R$ 200 a R$ 800, pagos a voluntários que atuam como alfabetizadores de jovens e adultos dentro do programa Brasil Alfabetizado.

O Globo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe