Repouso é essencial na recuperação dos pacientes com chikungunya

Um dos principais sintomas da chikungunya, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, são as fortes dores nas articulações, que os profissionais de saúde chamam de artralgia. Quem está doente deve fazer o que para sofrer menos dores? Quem responde essa pergunta é a infectologista Tânia Mara Coelho, diretora do Hospital São José, da rede pública do Governo do Estado: "repousar é fundamental para não forçar as articulações e as dores voltarem ainda piores". Ela destaca que "as pessoas com chikungunya devem voltar às atividades do dia a dia de forma leve, sem fazer muito esforço físico para garantir a efetiva melhora". Outra recomendação que a médica infectologista Tânia Mara Coelho faz aos pacientes é a hidratação: "é importante beber água, muito líquido, de vez em quando".

Além das dores nas articulações, outro sintoma da chikungunya é febre alta, de início rápido. Também podem ocorrer dores de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. "Com o aparecimento desses sintomas ninguém pode tomar medicação por conta própria", alerta a infectologista. Ela orienta que "ao invés da automedicação os pacientes devem procurar assistência na unidade de saúde mais próxima de casa".
No Ceará, o primeiro caso de chikungunya com transmissão dentro do Estado foi confirmado em novembro do ano passado. Em dezembro foi confirmado o segundo caso. Este ano, conforme o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado no último dia 20 de maio, há 915 casos confirmados e tem 2.599 em investigação laboratorial.
Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Depois de infectada uma vez a pessoa fica imune. A transmissão só ocorre através da picada do mosquito, com os sintomas aparecendo entre dois e 12 ias após a picada. O Aedes aegypti adquire o vírus CHIKV quando pica uma pessoa infectada, no período em que o vírus está presente no organismo infectado.

Sesa Ceará
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe