Será a pior eleição da nossa história, diz ex-ministro da Comunicação de Dilma


Para o ex-ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom) no Governo Dilma, o sociólogo Edinho Silva, a crise no modelo político-partidário deverá atingir todas as grandes legendas nas eleições de outubro próximo, sendo mais prejudicial ao PT.
“Será a pior eleição da nossa história”, disse o sociólogo, em entrevista publicada neste domingo (19) pelo jornal Folha de S.Paulo.
Filiado há 31 ao PT, o ex-prefeito de Araraquara – por dois mandatos – e ex-presidente do PT de São Paulo, Edinho Silva aponta como maior erro do partido o não rompimento com o modelo de financiamento político-partidário.
“Em algum momento o PT terá que fazer uma autocrítica perante a sociedade”, avaliou.
Citado em delações de empreiteiros, na Operação Lava Jato, por pressionar empresários a doar dinheiro para a campanha à reeleição de Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto, Edinho Silva se diz arrependido por ter aceito o convite de tesoureiro da campanha, mas assegura inocência.
“Quem me conhece sabe que não sou capaz de pressionar ninguém, não é meu perfil. Agora, tudo que vem da campanha de Dilma é oriundo de pressão ou ilegal. E dos outros candidatos, não?”, reclamou.
Apesar de defender as investigações da Lava Jato, o ex-ministro sugere que o processo seja concluído “o mais rápido possível, para que o país volte a funcionar”.
“Se queremos retomar o crescimento (econômico), não podemos abrir mão da estrutura de engenharia que o Brasil construiu. A leniência é uma saída para que as empresas paguem o preço que tiverem que pagar. Elas têm que voltar a gerar emprego”, observou.

Blog do Eliomar
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe