Sessão da comissão do impeachment é suspensa por falta de luz no Senado

A comissão especial do impeachment encerrou suas atividades antes do previsto nesta segunda-feira (27) após um apagão de energia elétrica em Brasília afetar também o Congresso. Estavam marcados três depoimentos de testemunhas da defesa da presidente afastada Dilma Rousseff, mas apenas o ex-ministro e hoje deputado Patrus Ananias (PT-MG) foi ouvido.
O presidente da comissão, Raimundo Lira (PMDB-PB), interrompeu os trabalhos quando a segunda testemunha iniciava sua oitiva. A ex-secretária executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário Maria Fernanda Coelho, chegou a responder às perguntas do relator, AntOnio Anastasia (PSDB-MG), mas foi interrompida em seguida.
De acordo com Lira, Maria Fernanda e João Luiz Guadagnin, diretor do departamento de financiamento e proteção do Ministério do Desenvolvimento Agrário, serão ouvidos nesta terça (28).
Também está prevista para amanhã a oitiva do ex-ministro da Defesa Aldo Rebelo, do ex-advogado-geral da União Luís Inácio Adams e do responsável técnico junto ao Conselho Nacional de Justiça para análise de créditos suplementares, Antônio Carlos Rebelo.
Os demais trabalhos do Senado também foram encerrados por volta das 19h30. Não houve sessão deliberativa nesta segunda, e o plenário da Casa já estava fechado desde o início da tarde.
Em nota, a assessoria de imprensa do Senado informou que um incêndio em uma subestação da Companhia Energética de Brasília (CEB) afetou parte das atividades do Senado.

Folha de S. Paulo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe