Temer decide demitir chefe da Advocacia-Geral da União

O presidente interino Michel Temer decidiu demitir o chefe da Advocacia-Geral da União, Fábio Osório, segundo informa Jorge Bastos Moreno em sua coluna na edição deste sábado, no Globo. Osório tentou embarcar esta semana para Curitiba, na Base Aérea e teve o pedido negado. Diante da negativa, deu uma carteirada nos oficiais da Aeronáutica, dizendo ter status de ministro de Estado. A confusão, no entanto, chegou ao gabinete do presidente.
Temer descobriu ainda que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli só revogou sua decisão de demitir o presidente da EBC, Ricardo Melo, nomeado por Dilma porque o advogado-geral da União, que deveria fazer a defesa do governo, estava na viagem a Curitiba. O advogado é afilhado político do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.
Osório será o terceiro ministro de Temer a deixar o governo. O primero foi o senador Romero Jucá, que pediu demissão do Ministério do Planejamento após serem divulgados os áudios gravados pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Em conversa gravada, senador teria sugerido 'pacto' para barrar Lava-Jato.
O segundo a sair foi o ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira. Ele aparece na gravação feita pelo ex-presidente da Transpetro orientando o presidente do Senado, Renan Calheiros, a não antecipar informações à Procuradoria-Geral da República na Operação Lava-Jato. Antes de se tornar ministro, Silveira também teria procurado o Ministério Público em busca de informações sobre as investigações contra Renan no esquema de corrupção da Petrobras.

O Globo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe