Treze governadores e 36 senadores estão na mira da delação de Odebrecht

Pelo menos 13 governadores e 36 senadores devem ser citados na delação premiada do empresário Marcelo Odebrecht, diz reportagem da revista Veja deste fim de semana. Segundo a revista, a empreiteira distribuiu cerca de R$ 100 milhões em recursos irregulares a candidatos.
A revista afirma também que o empresário Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, citará em sua delação que pagou pelas reformas no sítio de Atibaia, que seria propriedade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Outros beneficiários de esquemas irregulares seriam os senadores Aécio Neves, Geddel Vieira e Romero Jucá; o presidente do Senado, Renan Calheiros e presidente da Câmara afastado, Eduardo Cunha.
A publicação afirma, ainda, que a presidente Dilma Rousseff pode ser citada no depoimento. As investigações da Lava Jato teriam rastreado um repasse de 3 milhões de dólares da Odebrecht ao marqueteiro João Santana, que cuidou das três últimas campanhas presidenciais do PT. O candidato às eleições de 2014 Aécio Neves teria se beneficiado de esquema semelhante.
De acordo com estimativas da revista, ao menos 50 altos executivos da Odebrecht devem fazer delações premiadas que detalharão repasses de propinas a deputados e senadores. Os envolvidos não responderam aos pedidos de entrevista.

Notícias ao Minuto
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe