Uma entrega especial

Era uma manhã de sábado, depois de passar horas aguardando no hospital, a mãe de Jimmy se levanta da cadeira quando viu o cirurgião chegar e pergunta: 
- Como está meu filho? Ele vai ficar bem?
O cirurgião disse: - Sinto muito, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance.
Sally já com seus olhos marejados, disse: - Por que as crianças tem câncer? Será que Deus não se preocupa com elas? ...”Deus, onde estavas quando meu filho precisou?”
O cirurgião disse: - Uma das enfermeiras sairá para te deixar uns minutos com o corpo de seu filho antes que levem para a Universidade.
Sally pediu a enfermeira que a acompanhasse enquanto se despedia de seu filho. Passou a mão no seu cabelo, a enfermeira perguntou se ela queria guardar alguns fios de seu cabelo. Sally aceitou, a enfermeira cortou uma mecha e colocou em uma bolsinha de plástico.
Sally disse: - Sabe amiga, foi ideia de Jimmy mesmo em doar seu corpo a Universidade para ser estudado.
Disse que poderia ser útil a alguém. Era o que ele desejava. Eu, a princípio me neguei, mas ele me disse: "Mamãe, eu não o usarei depois que morrer, e talvez ajude uma criança a desfrutar de um dia mais ao lado de sua mãe." Meu Jimmy tinha um coração de ouro.
Sally saiu do Hospital Infantil pela última vez, depois de ter permanecido por lá nos últimos seis meses. Colocou a bolsa com os pertences de Jimmy no assento do carona. Foi difícil dirigir de volta pra casa, e mais difícil ainda, entrar na casa vazia.
Levou a bolsa ao quarto de Jimmy e colocou os carrinhos de miniatura e todas suas demais coisas como ele gostava. Sentou na cama de Jimmy e chorou até dormir, abraçando o pequeno travesseiro dele. Acordou cerca de meia-noite, se virou e viu que junto a ela, havia uma folha de papel dobrada. Abriu... era uma pequena carta que dizia:
"Querida mamãe, sei que você deve sentir minha falta, mas não pense que eu te esqueci ou que deixei de te amar só porque não estou ai para dizer TE AMO. Estarei sempre com você.
Algum dia voltaremos a nos ver. Se você quiser adotar um menino para que não ficar tão sozinha, ele poderá ficar no meu quarto e brincar com todas as minhas coisas. Se quiser uma menina, provavelmente ela não gostará das mesmas coisas que os meninos e terá que comprar bonecas e coisas de meninas... mas não fique triste quando pensar em mim, pois saiba que estou num lugar maravilhoso.
Meus avós vieram me receber quando cheguei, me mostraram um pouco daqui, mas levarei muito tempo para ver tudo. Os anjos são muito amigos e me encanta vê-los por todo lugar. Jesus não se parece com as imagens que vi dele, mas soube que era ele assim que o vi. Ele me levou para ver Deus! E acredite, mamãe! Eu me sentei no colo dele e falei com ele como se eu fosse alguém importante.
Eu disse a Deus que queria te escrever uma carta, para me despedir, mesmo sabendo que não era permitido. Deus me deu papel e sua própria caneta de pena para escrever esta carta. Acho que se chama Gabriel o anjo que a deixara cair para você. Deus me disse para responder o que você perguntou:
"Onde estava ele quando eu precisei?" 
Deus disse: "No mesmo lugar de quando Jesus estava na cruz. Estava justo aí, como Deus sempre está com todos os seus filhos."
Ah! quase esqueci de dizer... Não sinto mais nenhuma dor, o câncer foi embora. Estou feliz porque eu já não conseguia mais suportar tanta dor e Deus não podia me ver sofrendo daquela maneira, ai enviou um Anjo para me buscar. 
O Anjo me disse que EU era uma entrega especial!!!"
"Filho é um ser que nos foi emprestado para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo."
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe