Viver Honestamente

Claudemir de Jesus é um catador de latinhas. 
Em uma festa em Santa Rita, aconteceu o seguinte: ele estava como sempre caminhando e recolhendo as latinhas espalhadas pelo chão, quando viu uma mulher que, ao entrar em seu luxuoso Audi preto, deixou cair sua carteira. 
Claudemir pegou a carteira do chão, foi até o Audi e bateu no vidro do carro. A motorista se assustou a principio e mostra-lhe então o dedo do meio. Lamentável...
Assim que Claudemir ergue a mão e mostra a carteira, ela olha rapidamente em sua bolsa e vê que é dela... abaixa o vidro do carro e a recebe de volta do mesmo jeito que perdeu... Sem sequer agradecer, fecha o vidro e sai do local. 
Próximo ao acontecido, dois seguranças assistiram aquele episódio, chegaram ate Claudemir e falaram "Você, um morador de rua, catador de latinhas... tinha mais é que abrir a carteira retirar o dinheiro e jogar fora os documentos... Você viu só o tratamento que recebeu?"
Claudemir orgulhoso, olha para os dois e fala "sou morador de rua, cato minhas latinhas pra sobreviver, mas tenho comigo uma coisa muito importante que meus pais me ensinaram: HONESTIDADE... e mais, tenho Deus em meu Coração! Oque não quero pra mim , não desejo para as outras pessoas".

PENSE NISSO!

Quando você é real na sua “honestidade”, nas suas atitudes, as pessoas percebem... elas sentem a sua autenticidade". Wynonna Judd

Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.
É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.
É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais corriqueiras, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.
É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam.
Nas pessoas que escutam mais do que falam.
E quando falam, passam longe da fofoca, das maldades ampliadas no boca a boca.
É possível detectá-las nas pessoas que não usam um tom superior de voz.
Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.
LEMBRE-SE de que colheremos, infalivelmente aquilo que houvermos semeado.
Se estamos sofrendo, é porque estamos colhendo os frutos amargos das sementeiras errôneas. Fique alerta quanto ao momento presente. Plante apenas sementes de sinceridade e de amor, para colher amanhã os frutos doces da alegria e da felicidade. Cada um colhe, exatamente, aquilo que plantou.”
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe