XX edição da PecNordeste tem maior participação neste ano

Com uma estimativa de reunir um público de até 30 mil pessoas, foi aberto, na manhã de ontem, o XX Seminário Nordestino de Pecuária (PecNordeste), no Centro de Eventos do Ceará. Nesta edição, a organização estima um público em torno de 30 mil pessoas e um volume de vendas que pode chegar a R$ 12 milhões.
O evento foi aberto pela manhã pelo titular da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), Dedé Teixeira, que representou o governador. Ele chamou a atenção para o compromisso de incentivar e capacitar os produtores rurais, que fizeram deste evento um dos mais importantes do País.
“Nossa Secretaria e a Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa) têm atuado unidas, nas mais diversas áreas, procurando a amenização dos fatores climáticos que estamos vivendo nestes cinco anos seguidos de seca”, disse Dedé Teixeira.
Além da exposição de animais, em que se destacam o comércio de matrizes de caprinos, ovinos e bovinos, também chega à sua segunda edição, a Galeria dos Garanhões, onde são comercializados coberturas de cavalos de alta linhagem.

Desafios
Para o médico veterinário Leonardo de Freitas, o diferencial da iniciativa, neste ano, é a adesão de produtores e criadores de outros Estados. Na sua opinião, isso é bastante relevante, considerando o período de seca que a região atravessa, além dos desafios que são vencer as endemias, “em que o Ceará tem-se destacado nacionalmente”, disse.
Para o coordenador geral da PecNordeste, Paulo Hélder de Alencar Braga, é natural que haja uma redução de negócios, em vista da crise econômica que o País atravessa e pelos cinco consecutivos de seca.
Ao mesmo tempo, Hélder ressalta que houve um crescimento do público participante em relação aos anos passados. “Isso comprova como o produtor rural e o pecuarista estão motivados em aprender novas tecnologias para o enfrentamento das dificuldades vividas no Semiárido”, afirmou o coordenador.
Alunos das escolas técnicas federais, da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA) participam das palestras. Ontem, foi realizada uma oficina gastronômica “Aproveitamento da Palma Forrageira na Alimentação Humana”.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe