A 3 meses das eleições, prefeitos aumentam inaugurações em até 17 vezes

De acordo com matéria publicada no blog do jornalista Fernando Rodrigues, os prefeitos que tentam a reeleição nas eleições de outubro deste ano aproveitaram ao máximo o período em que a Justiça Eleitoral permite a inauguração de obras–o prazo se encerrou no último dia 2 de julho. Levantamento feito pelo blog do jornalista mostra que, nas maiores capitais, o ritmo de solenidades aumentou até 1600% em relação a 2015.
O Blog analisou os sites das 5 maiores capitais do país em que os prefeitos são pré-candidatos às eleições de outubro –São Paulo, Salvador, Fortaleza, Manaus e Curitiba. Foram contadas apenas as inaugurações noticiadas pelas assessorias de imprensa das prefeituras, tanto em junho de 2016 quanto junho de 2015.
Quem mais entregou obras foi o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). De 1º de junho a 30 de junho, foram 51 inaugurações –crescimento de 1.600% ante o mesmo período de 2015. Só na última semana antes da proibição pela Lei Eleitoral, foram 11 cerimônias para entregar obras.
Logo atrás, aparece Arthur Virgílio Neto (PSDB), de Manaus. Em junho de 2016, o tucano inaugurou 11 obras, 450% a mais que as 3 registradas no mesmo mês de 2015.
Entre as obras entregues em 2016, está a reforma da praça que leva o nome de seu pai, o ex-senador Arthur Virgílio Filho. No ano passado, uma unidade de saúde com o mesmo nome já havia sido inaugurada.
Em Salvador, o prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM) participou da entrega de 15 obras em junho de 2016. No entanto, o total de inaugurações, segundo o próprio demista, foi bem maior: 30 em apenas 3 dias e 200 nos últimos 40 dias antes da proibição eleitoral.
Em junho de 2015, a assessoria de imprensa de ACM Neto noticiou a entrega de apenas 3 obras.
O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), inaugurou 11 obras em junho de 2016 –um aumento de 267% ante 2015. A construção do calçadão no bairro Cajuru também está na fase final e deve ser concluída nos próximos dias.
Na maior cidade do país, São Paulo, o ritmo de inaugurações foi o que menos cresceu. Ainda assim, o prefeito Fernando Haddad (PT) entregou mais que o dobro de obras em relação ao ano passado: 19, ante 8 em 2015 –aumento de 138%.


Fim da propaganda pessoal
Desde 6ª feira (1º.jul), os políticos não podem mais fazer propaganda institucional no rádio e na televisão. Desde sábado (2.jul), também estão proibidos de inaugurar obras, contratar ou demitir sem justa causa e nomear para cargos em comissão, entre outras restrições (que podem ser lidas a partir da página 6 do calendário elaborado pelo Tribunal Superior Eleitoral).

UOL
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe