Com apoio do PT, PMDB lança ex-ministro de Dilma para disputa na Câmara

A bancada do PT vai anunciar nesta terça-feira (12) apoio à candidatura de Marcelo Castro (PMDB-PI) à presidência da Câmara dos Deputados.
Castro venceu a disputa na bancada do seu partido por 28 votos nesta terça (12). Ele derrotou no segundo turno Osmar Serraglio (PR) que ficou com 18 votos.
Carlos Marun (MS) e Fabio Ramalho (MG) também queriam se eleger para o cargo, mas não conseguiram votos suficientes. Marun teve 11 votos no primeiro turno, mesmo número de Serraglio, mas o critério de desempate, o mais antigo na Casa, não o favoreceu.
Ramalho só conquistou sete eleitores. Contudo, afirmou que vai disputar a vaga mesmo sem o apoio do partido -deve lançar uma candidatura avulsa.
A batida de martelo pulveriza ainda mais a eleição para a cadeira deixada por Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e complica ainda mais os planos do Palácio do Planalto, que vem trabalhando para que a base aliada do governo se una em torno de um nome.
Outro reflexo da decisão é o enfraquecimento da chapa encabeçada por Rogério Rosso (PSD-DF). Ainda favorito no pleito, Rosso foi o escolhido pelo chamado "Centrão", bloco formado por partidos de média e pequena expressão e turbinado por Cunha no período em que ele ocupou a presidência.
No Palácio do Planalto, a notícia foi recebida com irritação pelo presidente interino, Michel Temer, que desconfia da proximidade de Castro com o PT e não tem confiança no ex-ministro de sua antecessora, Dilma Rousseff.
O governo interino trabalhava para que o PMDB não lançasse candidatura própria, evitando pulverizar ainda mais a disputa parlamentar, mas acabou sendo derrotado.
O receio de assessores e auxiliares presidenciais é de que a candidatura tenha surgido de um jogo combinado do peemedebista com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Para aliados, além do PT, Castro deve atrair apoio ainda do PCdoB e do PDT. Os partidos se reúnem nesta tarde para definir seus rumos para a eleição de amanhã.

PT
Os petistas se reúnem no início desta tarde para bater o martelo sobre Castro, mas, segundo o líder do partido na Câmara, José Guimarães (PT-CE), a decisão está tomada. "O PT vai apoiar Marcelo Castro", disse o deputado à reportagem.
O veredito foi dado após um racha da bancada do PT em reunião nesta segunda (11), na sede do partido em Brasília.
Enquanto a tropa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendia apoio à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ), diversos deputados ameaçaram voto nulo caso a sigla insistisse em apoiar o democrata.
Após mais de cinco horas de discussões acaloradas, o PT decidiu trabalhar pela candidatura de um nome que votou contra o impeachment de Dilma Rousseff.
Marcelo Castro foi ministro da Saúde da petista e, apesar de ser do partido do presidente interino, Michel Temer, votou contra o afastamento da petista.

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe