Com preço em alta, feijão vira alvo de ladrões e lavouras ganham vigia

Com a alta do preço do feijão, os produtores do Sul de Minas estão contratando seguranças. Os bandidos estão roubando feijão no pé e até as máquinas que fazem a colheita.
Com o feijão valendo ouro, o produto entrou na mira dos ladrões. A saca de 60 kg está custando quase R$ 600. Em São Gonçalo do Sapucaí, no Sul de Minas, os empregados viram quatro homens cortando o feijão na lavoura, durante o dia.
Essa não foi a primeira vez. O agricultor já estava desconfiado e quando foi para colheita, descobriu que boa parte da produção já tinha sido levada.
“Eles não têm dó não, porque eles não vão gastar nada para vender o feijão lá. E eu tenho certeza que eles estão vendendo bem abaixo do preço que está correndo, mas tudo que vier para eles é lucro”, declarou o agricultor Ronan de Souza.
Em uma outra fazenda em Alfenas, os bandidos roubaram 230 sacas, um prejuízo de R$ 130 mil. O feijão estava ensacado, pronto para ser levado para o armazém. Os bandidos levaram a carga com caminhão e tudo. O produtor está com medo e não quis dar entrevista.
"Nossa zona rural é realmente muito grande. Nós temos uma equipe reduzida de patrulha rural, mas estamos enfatizando os locais de possíveis, que possam ser alvos desses infratores, para que possamos de repente fazer uma ação mais preventiva”, afirmou o tenente da Polícia Militar Alessandro Furtado da Silva.
Quem diria que uma das preocupações dos produtores rurais ia ser com a segurança das lavouras. Por causa dessa onda de roubos, as propriedades estão contratando vigias para ficar de olho na plantação. Em uma fazenda em Alfenas, por exemplo, tem gente dia e noite só para tomar conta dos pés de feijão. "Faz mais de 20 anos que eu mexo com lavoura, nunca cheguei a pôr segurança na lavoura. Esse ano que nós estamos pondo”, declarou o agricultor Jorge Luiz.
E não é só o feijão que é cobiçado não. Máquinas e produtos agrícolas também atraem os bandidos que sempre chegam armados. “O caminhão tem que ficar guardado para ninguém ver esse caminhão. A máquina que colhe o feijão aqui, se ela ficar aqui na roça, eu corro o risco de morrer, porque eles acham que tem feijão na máquina, e vem roubar a máquina achando que tem feijão na máquina”, declarou o vigia Eli de Jesus Santana.
No fim de semana, mais um roubo foi registrado, dessa vez na Bahia. Cinco homens armados invadiram uma fazenda em Barreiras e roubaram mil sacos de feijão fradinho. Ninguém foi preso.

Bom Dia Brasil
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe