Correios atrasam entregas por causa de insegurança e contingente insuficiente

A falta de segurança e o contingente insuficiente de carteiros estão atrasando as entregas dos Correios na Capital. Durante a manhã de hoje, integrantes do Sindicato dos Trabalhadores em Correios, Telégrafos e Similares do Ceará (Sintect-CE) estiveram no Centro de Entrega dos Correios, na BR-116, reivindicando soluções para os problemas enfrentados pela categoria. O Ceará possui 1.353 carteiros. 
A professora Leda Martins, 50, disse que há pelos menos três meses as correspondências do condomínio onde mora, no bairro São Gerardo, chegam com atraso. “Hoje chegaram 100 correspondências de uma vez só, acumuladas de meses. Perguntei a um carteiro o que estava acontecendo e ele disse que é falta de profissional. Ele contou que leva correspondência para casa e, quando dá tempo, faz a entrega”, contou Leda.       
Através de nota, os Correios reconheceram a ocorrência de atrasos nas entregas e a necessidade de reforçar as equipes de distribuição. A empresa afirmou ter contratado 60 profissionais para atuar nas entregas em Fortaleza, além de realizar hora extra, entrega aos sábados, mutirões e uso de empregados da área administrativa na parte operacional.

Assaltos
Os representantes do Sintect conseguiram conversar com a gerência da unidade dos Correios após a tentativa de fazer assembleia junto aos 53 carteiros que trabalham no local. Um novo encontro deverá acontecer junto à categoria para discutir soluções. Conforme um dos coordenadores do sindicato, Antônio Gemilson, o bairro Bom Jardim é o que mais registra a ocorrência de assaltos. “Dos 53 carteiros dessa unidade, apenas três nunca foram assaltados”, destacou.
De acordo com os Correios, para locais como o Bom Jardim, onde há reincidência de assaltos, a entrega de encomenda é feita de forma diferenciada, em unidade da empresa. Ainda conforme a empresa, nos últimos dois meses, representantes dos Correios reuniram-se com a PF, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o comando do Ronda do Quarteirão para tratar de temas ligados à segurança da atividade postal. A estatal afirmou ainda que possui uma área para avaliação de riscos e planejamento de estratégias de segurança em todo o Ceará.  
  
O POVO Online 
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe