É preciso interromper controle de Cunha sobre a Câmara, diz Dilma

A presidente afastada, Dilma Rousseff, afirmou em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais, que espera que a influência do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sobre os demais parlamentares seja interrompida com a eleição de um novo presidente da Câmara.
"Temos de interromper este processo (de controle do Cunha sobre os parlamentares). O primeiro passo é o que hoje estamos vendo na Câmara, com grande quantidade de candidaturas", disse a presidente afastada.
A eleição à presidência da Câmara ocorre nesta quarta-feira (13) a partir de 16 horas. Até agora, 14 candidatos se inscreveram ao pleito. O PT e seus aliados acenam apoiar o ex-ministro da Saúde do governo Dilma Marcelo Castro (PMDB-PI), que votou contra o impeachment dela. 
Até o início da semana, parlamentares petistas mantinham conversas com interlocutores de Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda que ele tenha sido um dos principais líderes do impedimento da presidente e conte com o suporte do PSDB. Já o chamado centrão, de aliados de Cunha, aposta na candidatura de Rogério Rosso (PSD-DF).
"Para um eventual segundo turno, espero que vença o candidato que tenha mais idoneidade e espero também que seja alguém que não tenha votado pelo impeachment", afirmou Dilma.

Estadão Conteúdo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe