Latam adia mais uma vez definição do hub

A Latam adiou mais uma vez o anúncio de qual capital do Nordeste sediará seu hub (centro de conexão de voos). A companhia havia informado, ao longo do semestre, que a definição sairia até o final de junho, o que não aconteceu. Também não deu nova data para o comunicado, nem se ele será feito ainda neste ano. O hub é disputado por Fortaleza, Natal e Recife.
A justificativa da Latam para o novo adiamento - o primeiro foi em novembro de 2015 – é a situação macroeconômica do País, “que tem registrado queda significativa na demanda nos últimos meses, e com baixa perspectiva de retomada de crescimento num curto prazo”. Também volta a apontar questões estruturais, motivo alegado para o primeiro adiamento, citando “indefinições de infraestrutura”. Assim, conclui a empresa em nota ao O POVO, “a escolha da cidade que poderá receber o hub será feita em um momento mais adequado, ainda sem data definida”.
A empresa diz, entretanto, que o estudo de viabilidade do projeto segue nos planos. “A Latam Airlines Brasil informa que o estudo de viabilidade do projeto para a implantação de um hub no Nordeste do Brasil segue no plano de investimentos do Grupo Latam”.
O adiamento era esperado por Felipe Carreras, secretário do Turismo, Esporte, Lazer de Pernambuco. “A notícia era esperada por conta do cenário econômico. É algo visto com naturalidade. Compreendemos a decisão da empresa”. Segundo ele, o canal de comunicação com a Latam é permanente.
Procurado, Arialdo Pinho, titular da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur) disse que não iria se posicionar sobre o tema. O Governo do Estado informou que não comenta a decisão da Latam. O Governo do Rio Grande do Norte não respondeu a solicitação do O POVO até o fechamento da edição.
Para Adalberto Febeliano, professor de Economia e Transporte Aéreo da Universidade Anhembi-Morumbi, grandes investimentos em período de crise são tiro no pé. “As empresas estão perdendo bilhões. Hub é um investimento grande. Requer contratar gente, treinar pessoal, investir em salas e sistemas. No momento, o anúncio não é compatível com a situação do mercado brasileiro”. No prognóstico mais otimista, estima que o anúncio pode ocorrer em seis meses, desde que a economia dê sinais de melhoras e torne sustentável o investimento da Latam.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe