“Me fingi de morto”, diz PM sobrevivente do confronto que matou 3 policiais em Quixadá

O sargento João Alves Campos, da Polícia Militar (PM) de Quixadá e que sobreviveu ao confronto com os bandidos na última quinta-feira (30), recebeu alta na tarde da última segunda-feira (4) e já está em sua casa, neste Município da região central cearense. O PM estava internado no Instituto Doutor José Frota (IJF), na Capital.
“Quando caí no chão baleado fechei os olhos e me fingi de morto, fiquei assim até não escutar mais nenhum barulho, pois meu medo era que eles voltassem para me matar”, disse em entrevista ao G1-CE.

Emoção e homenagens no retorno para casa
O retorno de Campos à residência foi marcada por muita emoção. Colegas da Associação dos Profissionais de Segurança (APS) gravaram um vídeo mostrando a chegada do policial. O PM foi bastante aplaudido por familiares e recebido por colegas de farda. De acordo com informações de amigos que pediram para não ser identificados, o policial faz uso de medicamentos para aliviar as fortes dores que ainda sente.
“Os médicos disseram que foi um milagre, pois o tiro de fuzil não atingiu o osso, nem a veia femoral, apenas a carne”, disse.

Sobrevivente: “a pistola parou de funcionar”
Campos foi baleado na perna e no braço durante o confronto. “Dei uns cinco tiros e a pistola parou de funcionar, foi aí que tentei sair de dentro da viatura para poder me proteger, mas caí no chão”, afirmou.
É dele a voz que aparece em um áudio que circulou nas redes sociais onde pede socorro após ser baleado e ver o colega morto. “A gente tá na Juatama, cara! Eu tô baleado e o Antonio Filho está morto. O Joel tá morrendo cara! Vem socorrer a gente, na estrada da Juatama!”.

Visita do governador
Na última sexta, ele recebeu a visita do Governador do Estado, Camilo Santana, além do secretário adjunto da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Lauro Prado, e do delegado da Polícia Civil, Andrade Júnior, no leito do IJF onde ele estava internado.

Confronto: 3 PMs mortos no último 30 de junho
O confronto no final da tarde da última quinta (30), na zona rural do Município, culminou na morte do cabo Antônio Joel de Oliveira Filho, o soldado Antônio Lopes Miranda Filho e o sargento Francisco Guanabara Filho. A cidade ficou comovida com o crime. O velório e o sepultamento das vítimas, ocorridos no dia 1º deste mês, foi marcado por um clima de intensa emoção.
Na tarde da última segunda-feira (4) as ruas do Centro foram tomadas por populares que fizeram uma manifestação pedindo mais segurança.

Diário Sertão Central
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe