Municípios cearenses registram baixa umidade relativa do ar

Em virtude de uma massa de ar seco no Estado e no restante do País, municípios cearenses, em especial os do Interior, têm registrado queda nos índices de umidade relativa do ar. Na manhã deste sábado (2), de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), algumas cidades alcançaram menos de 50% de umidade relativa do ar, níveis considerados abaixo do ideal  pela Organização Mundial de Saúde(OMS). 
De acordo com o órgão, o município de Jaguaribe apresentou, às 11h, índice de umidade mínimo de 30%, estado tido como de atenção. Já a cidade de Tauá, no sertão cearense, atingiu nível mínimo de 42%. Na Capital, o percentual foi de 49%, que, segundo a Funceme, pode ser considerado baixo em comparação a outros períodos. 
A Funceme explica que uma massa de ar seco está atuando em quase todo o Brasil, dificultando a formação de nuvens e, consequentemente, a ocorrência de precipitações. O sistema deve permanecer operando até, pelo menos, este domingo (3). 
Conforme a Fundação, a baixa umidade relativa do ar pode provocar ressecamento de mucosas, do nariz e da garganta, aumento do risco de infecções respiratórias, piora de doenças respiratórias pré-existentes, ressecamento da pele e outros problemas. 
Para se proteger, o órgão recomenda, com base em orientações médicas, medidas como a ingestão de grande volume de água, a não realização de exercícios físicos intensos, assim como a ventilação e umidificação de ambientes.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe