Novas regras da Anac causam longas filas no Aeroporto de Fortaleza

Assim como já era previsto, as novas regras para inspeção de passageiros da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que entraram em vigor nesta segunda-feira (18), acabaram causando filas bem mais longas no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. Durante a manhã, o momento do embarque doméstico se transformou em uma verdadeira dor de cabeça para muitas pessoas, principalmente para quem não chegou com bastante antecedência para pegar seu voo, tendo em vista que a fila chegava à praça de alimentação do aeródromo.
O ritmo lento começava ainda na hora de entregar a passagem para checagem do código de barra ou QR Code, um processo costumeiramente rápido, mas que passou a ser demorado com as novas regras da Anac. Na fila de embarque, diversos passageiros demonstravam impaciência e questionavam os funcionários do aeroporto sobre a demora. A lentidão continuava na hora de passar pelo aparelho de raio-x, já que muitas vezes as pessoas tinham que abrir suas bagagens de mão e/ou serem revistadas por agentes.

Mais rigidez
As novas regras, anunciadas na última sexta-feira (15) pela Anac, incluem a retirada do notebook da bagagem de mão ao passar pelo raio-X, como já acontece em voos internacionais. Os passageiros também ficam sujeitos a revistas corporais, realizadas por agentes de segurança do mesmo sexo. Segundo a Agência, qualquer passageiro, até mesmo crianças, pode ser revistado, mesmo que o alarme do aparelho de raio-x não dispare. O critério de seleção é sigiloso.
A revista corporal pode acontecer em local público ou em área reservada, se o passageiro solicitar. Nesse caso, será necessário o acompanhamento de uma testemunha. O procedimento de segurança poderá ser substituído por scanners corporais. No entanto, só os aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro, e de Brasília e Viracopos, em Campinas, têm o dispositivo em seus embarques domésticos.

Bagagem de mão
Os agentes dos aeroportos no Brasil também podem pedir para inspecionar a bagagem de mão. Quem se negar a abrir a mala ou a passar pela revista corporal será proibido de entrar na área de embarque.
Caso seja detectado algo considerado suspeito, o agente vai enviar o objeto para inspeção e, se necessário, o passageiro será encaminhado à Polícia Federal. As mudanças não alteram a lista de itens que já são proibidos na bagagem de mão, como objetos cortantes e garrafas com mais de 100 ml de líquido. As regras estão descritas em um tira-dúvidas com perguntas e respostas publicado pela Anac.
Novas regras de fiscalização nos aeroportos que entraram em vigor hoje (18/07/16)

CONHEÇA AS REGRAS 
A orientação da ANAC é para que o viajante esteja no aeroporto com 1h30 de antecedência para evitar transtornos.
1) Revista física: todos os passageiros estão sujeitos a passar por uma revista física, feita por um agente do mesmo sexo. Isso pode ser feito de forma aleatória, ou seja, mesmo que não tenha sido disparado o alarme do equipamento de raios X. De acordo com a Anac, a revista poderá ocorrer em local público ou reservado, a critério do passageiro e do agentes, e com presença de testemunha.
2) Notebook: Os passageiros terão que tirar computadores portáteis e outros dispositivos eletrônicos de dentro das malas e mochilas. Antes, segundo a Anac, a medida só era obrigatória para os voos internacionais.
3) Abertura de bagagem, Os passageiros também podem ter de abrir as bagagens de mão para que os agentes façam a inspeção dos objetos. Isso pode ser solicitado no momento da passagem pelo equipamento de raios X.
4) As empresas aéreas orientam os passageiros dos voos nacionais a se apresentarem para o check-in com antecedência de pelo menos 1h30 antes do horário de saída do voo.
5) Crianças também podem ser submetidas à revista física. A Anac não informou a idade mínima por "questões de segurança".
6) Se o passageiro se negar a passar pelos procedimentos de inspeção, ele não poderá acessar a área de embarque do aeroporto.
7) A mudança vale para voos nacionais e internacionais em todos os aeroportos brasileiros.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe