Portugal supera ausência de Cristiano Ronaldo e conquista Eurocopa

Mesmo com Cristiano Ronaldo substituído ainda aos 24 min do primeiro tempo, devido a uma lesão muscular, Portugal conseguiu administrar o desfalque e conquistou a Eurocopa ao derrotar a França por 1 a 0 na prorrogação, na tarde deste domingo (10), no Stade de France, em Paris.
Com a conquista inédita, graças a um gol de Éder aos 3 min da etapa final do tempo extra, depois do empate por 0 a 0 nos 90 minutos, os portugueses se sagraram campeões da competição europeia pela primeira vez na sua história.
O atacante, nascido em Guiné-Bissau e naturalizado português, entrou na decisão aos 33 min do segundo tempo e deu mais presença ofensiva a Portugal. E, num chute rasteiro de fora da área já na segunda etapa da prorrogação, deu o título inédito a Portugal.
Já para Cristiano Ronaldo, que saiu de campo aos prantos, conseguiu neste torneio igualar o feito do francês Michel Platini ao chegar a nove gols em quatro edições da Eurocopa e se tornar o maior artilheiro da história do torneio.

Como foi o jogo
Empurrada pela sua torcida, a seleção francesa buscou pressionar desde os primeiros minutos, enquanto Portugal, mais recuado, apostava somente nos contra-ataques.
Com os bons avanços do volante Sissoko e as jogadas em velocidade do atacante Griezmann, o time da casa criou boas chances de abrir o placar no primeiro tempo, mas o goleiro Rui Patrício fez ao menos três importantes defesas e evitou o gol francês.
Depois, mesmo com a saída de Cristiano Ronaldo por contusão, aos 24 min, os portugueses conseguiram equilibrar as ações da partida e tiveram mais presença ofensiva antes do intervalo, mas sem criar grandes oportunidades.
A França voltou a ter o domínio territorial no jogo durante quase todo o segundo tempo, mas ainda com muitas dificuldades de entrar na grande área de Portugal.
Os franceses conseguiram assustar a zaga adversária somente depois dos 20 min, quando Griezmann cabeceou a bola rente ao gol português travessão e Giroud acertou a trave do goleiro Rui Patrício já nos acréscimos.
Na prorrogação, a seleção francesa continuou pressionando Portugal, que conseguiu se defender bem e jogar somente em contragolpes ou jogadas de bola parada.
E, assim, conseguiu o gol do título. Aos 3 min do segundo tempo, o atacante Éder, que havia entrado em campo durante a partida, chutou de fora da área e acertou o canto do goleiro Lloris.

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe