Rodrigo Maia, do DEM-RJ, é eleito presidente da Câmara

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) é o novo presidente da Câmara dos Deputados, eleito no segundo turno, com 285 votos, contra 170 votos de seu adversário Rogério Rosso (PSD-DF). Houve apenas cinco abstenções, entre os 460 deputados que votaram na etapa final. 
Já a primeira fase da eleição terminou pouco antes das 22 horas com os deputados Rodrigo Maia (DEM) com 120 votos e Rogério Rosso (PSD) somando 106 votos. A sessão começou no fim da tarde de ontem. Ficou acordado que líderes e outros deputados não falariam. Apenas os 14 candidatos discursaram, mas Gilberto Nascimento (PSC) desistiu quando discursava. 
Dos 513 deputados apenas Eduardo Cunha não teve direito a voto por estar com o seu mandato suspenso de ordem do Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento na Lava-Jato, também causa do seu processo de cassação do mandato. A votação, em primeiro turno, pelo sistema eletrônico e secreto, após os pronunciamentos dos candidatos, começou pouco depois das 21 horas. 

A sessão foi comandada pelo deputado Waldir Maranhão, primeiro vice-presidente da Câmara, responsável por mais uma trapalhada ao mudar o horário de início da sessão, anteriormente previsto para o início da noite. 
Na terça-feira (12) ele resolveu antecipar o horário. O novo presidente da Câmara que substitui a Eduardo Cunha, forçado a renunciar ao cargo de presidente na esperança de não ter o mandato de deputado cassado (processo está em fase final no Conselho de Ética). O mandato do “tampão” vai até o início do próximo ano. O presidente da Câmara fica na linha de sucessão da presidência da República. 
Se confirmado o impeachment da presidente Dilma ele será, de fato, o vice-presidente da República. 
A ordem de fala dos candidatos foi definida por sorteio e começou com Rodrigo Maia (DEM-RJ), Evair Vieira de Melo (PV-ES), Miro Teixeira (Rede-RJ), Fernando Giacobo (PR-PR), Cristiane Brasil (PTB-RJ, Luiza Erundina (PSOL-SP), Fabio Ramalho (PMDB-MG, Carlos Manato (SD-ES), Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO), Marcelo Castro (PMDB-PI), Rogério Rosso (PSD-DF), Gilberto Nascimento (PSC-SP), Esperidião Amin (PP-SC) e Orlando Silva (PCdoB-SP).
Mais cedo, no meio da tarde, três pré-candidatos retiraram seus nomes da disputa: Beto Mansur (PRB-SP), que anunciou apoio de seu partido a Rogério Rosso (PSD-DF), Maria do Rosário (PT-RS) e Fausto Pinato (PP-SP), sem indicarem apoios.
Mansur negou influência do Palácio do Planalto em sua decisão. Maria do Rosário disse que havia se candidatado para dar uma alternativa ao PT, mas também desistiu. Pinato foi o último deputado a renunciar.
Como nenhum dos postulantes obteve a maioria absoluta dos votos dos 512 parlamentares teve que acontecer o segundo turno, como determina o Regimento Interno daquela Casa do Congresso Nacional.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe